Brasil: dias melhores não virão

22 ago by João Ricardo Correia

Brasil: dias melhores não virão

Essa questão de Lula liderar as pesquisas de opinião pública pega muito mal para o Brasil. Afinal de contas, o ex-presidente eleito duas vezes, populista, antigo líder sindical, hoje é um presidiário, condenado por corrupção. Entretanto, serve de lição aos demais políticos e àqueles que pretendem ser “representantes do povo”.

Na hora que, segundo as pesquisas, uma maioria diz, convicta, que vota em Lula, simplesmente ignora sua condenação, como também não demonstra interesse nos demais candidatos, alguns tão encalacrados com as sacanagens quanto o maioral petista e outros que terminam jogados na vala comum da canalhice política, ainda que até possam ter propostas satisfatórias para o País.

A lei da ficha limpa impede que Lula seja candidato. Se for cumprida, quem lidera as pesquisas é Jair Bolsonaro, capitão da reserva do Exército, “puta velha” com quase trinta anos de mandato como deputado federal, filhos também políticos, enfim, não é novidade para ninguém, mas, assim como Lula, sabe atingir seus alvos – sem trocadilhos – e diz o que o povo quer ouvir, diante de uma nação insegura, dominada pela bandidagem em várias escalas. Daí, Bolsonaro vai falando, fazendo suas coreografias armamentistas, dando uma de brabão em umas ocasiões, se mostrando amável em outras, ou seja, praticando o que mais os políticos sabem na hora que precisam do voto. Querem agradar a todos! Todos meninos bestinhas, bonzinhos demais. Cada um mais fofinho que o outro. Dá vontade apertar… o pescoço.

Entre essa popularidade do ex-presidente-detento e do tradicional deputado valentão, existem outros candidatos, como a também conhecida Marina Silva, que não decola nem se for amarrada no rabo de um foguete; Boulos que parte para o ataque contra todos, inclusive dos donos dos imóveis que ele comanda as invasões; Cabo Daciolo, mais um mungangueiro que está curtindo demais os minutos de fama que terá nos debates e na propaganda eleitoral (que não é gratuita porque nós pagamos). Tem ainda o Henrique Meirelles, ex-ministro, ex-presidente do Banco Central, do MDB, partido de Temer, que faz de tudo e um pouco mais para se manter no poder. Ciro Gomes, outro cara de pau dos mais tradicionais, promete pagar as contas de milhões de brasileiros que estão no SPC, por aí se tem uma noção do que ele é capaz de fazer para ser eleito. Sem esquecer do senador Álvaro Dias, do Podemos, com suas conversas moles, mandando o Brasil abrir o olho, é outro dinossauro louco para chegar ao ápice do poder. Geraldo Picolé de Chuchu Alckmin e sua conversinha bonita está aliado a uma ruma de sem futuro, no comando de um acordão, todos ligados a tucanos que depenam o bom senso, como Aécio Neves, por exemplo, agora candidato a deputado federal. Tem ainda Ey, Ey, Eymael; Vera Lúcia; João Amoêdo; João Goulart Filho…

E quem for eleito presidente vai ficar pianinho, seja quem for, porque ficará sob os pés de 513 deputados federais e 81 senadores, a maioria venal, preocupada apenas com o próprio bolso. Não tem esse negócio de salvador da pátria, de gritar, de esbravejar. Acreditar em quem? Nos comunistas? Nos petistas? Nos militares moralistas? Nos tucanos? Onde está essa turma que não enfrenta o crime organizado? Quem manda em muitas cidades brasileiras é o tráfico de drogas! E onde estão os brabões com seus tanques de guerra, os companheiros com suas foices?! E os militares que ameaçam tomar o controle da nação? Quando? Quando precisarem pedir licença às outras facções (não falo de partidos políticos) para circular nas cidades?!

Essa turma que quer nosso voto tem muita bravata, falatório. O que poderia mudar a história do Brasil seria um investimento sério na educação de base, para daqui a uns 20 anos a juventude ter consciência do que acontece e saber exigir seus direitos. Mas esses canalhas não querem educar o povo. Querem continuar falando besteira, prometendo e fazendo acordos criminosos, como fazem há décadas.

Dias melhores não virão. Não é uma questão de negativismo, é enxergar um pouco além do nariz.

João Ricardo Correia

ByJoão Ricardo Correia

Formado em Comunicação Social pela UFRN. Experiências profissionais em rádio, jornais, TV, informativos virtuais e assessorias de imprensa. Editor geral do Portal Companhia da Notícia.

Deixe seu comentário

Fale no ZAP