Cultura sem Fronteiras oferece bolsas no exterior

Dez estudantes brasileiros poderão ser escolhidos neste ano para receber bolsas do Instituto Europeu de Design (IED), sediado na Itália e na Espanha. Serão oferecidas vagas para cursos de um ano nas áreas de Design, Moda, Programação Visual e Administração.

O anúncio foi feito na terça-feira (27), durante a inauguração do IED no Rio de Janeiro. Desde 2005, a escola funciona em São Paulo. Segundo a ministra da Cultura, Marta Suplicy, as bolsas serão as primeiras do programa Cultura sem Fronteiras, a ser lançado em breve pelo ministério.

“Até agora, só os estudantes de Exatas tinham essa oportunidade para obter bolsas no exterior, por meio do Ciência sem Fronteiras”, afirmou a ministra. “Para ampliar as possibilidades, estamos fazendo o Cultura sem Fronteiras.”

Em seu discurso, a ministra ressaltou a importância da restauração do prédio do Cassino da Urca, aberto em 1933, e a implantação do IED no local. Por lá, passaram os mais importantes artistas do Brasil na época.

Segundo ela, a vinda do IED para o Rio vai contribuir muito para o Brasil, no momento em que o País busca uma marca no cenário internacional que possa ir além dos tradicionais carnaval, samba e futebol.

A ministra afirmou que a implantação do IED no Brasil também pode ajudar no desenvolvimento das incubadoras criativas. O instituto poderia, assim, se aproximar desse projeto que presta assessoria jurídica, de marketing e até financeira para produtores culturais.

Segundo o IED, a revitalização do Cassino da Urca exigiu um investimento de R$ 10 milhões, em parceria com a Prefeitura do Rio de Janeiro. Há uma estrutura de laboratórios (informática, joias, moda) e biblioteca com livros e revistas de design, moda, artes, comunicação e marketing.

 

(Fonte: Ministério da Cultura)

Deixe seu comentário