Hub da Latam: menos torcida e mais fatos. Seria pedir muito?

AVIAO1

Não se trata de aposta, trata-se de jornalismo, de levar a melhor informação. No último sábado (19) os dois principais jornais diários de Natal circularam com os títulos principais de capa com enfoques diametralmente opostos.

NOVO JORNAL: “Natal é a mais viável para o hub, diz estudo da Latam”.

TRIBUNA DO NORTE: “Gasto para a construção do hub da Latam é maior no RN”.

Ambas as matérias são baseadas numa única fonte: a Consultoria britânica Oxford Economics, contratada pela companhia aérea para avaliar o impacto e potencialidades da implantação da estrutura no Rio Grande do Norte, Ceará e Pernambuco.

Ou seja, qual desses estados oferece as vantagens mais competitivas para receber um hub de milhões que terá impacto direto sobre a economia?

Em nenhum momento o NOVO se refere aos custos de implantação mencionados pela TRIBUNA, que oferece dados mais abrangentes do estudo, independentemente das informações favorecerem ou não o Rio Grande do Norte.

O que está em questão aqui não é a torcida, mas o processo que leva a resultados concretos. Quem cobre economia nos últimos 10 ou 15 anos conhece bem o fantasioso processo que levou o RN a fracassos retumbantes. Na ponta de fiascos históricos  estavam sempre inverdades baseadas em interesse dos governos em diferentes ocasiões.

Isso não significa que o RN não receberá o hub – cuja decisão será anunciada no fim do ano -, mas que a situação também não traduz um céu de brigadeiro para justificar o clima de “já ganhou”.

O publico merece os fatos. Seria pedir muito?

 

Deixe seu comentário