“Minha Casa Minha Vida” paralisado é a última ficha que caiu para os construtores

 

“O Sindicato da Indústria da Construção Civil do RN encaminhou ontem (27) ao Superintendente Regional da Caixa Econômica Federal em Exercício, Carlos Antônio de Araújo, e ao Governador Robinson Faria, ofícios informando sobre a paralisação das obras do programa Minha Casa Minha Vida no estado em razão de atrasos no pagamento. Segundo o Sindicato, desde novembro de 2014 os pagamentos das obras vêm sofrendo constantes atrasos, criando sérias dificuldades de caixa para as empresas construtoras.”

Este é o texto distribuído  pela assessoria de imprensa do Sinduscon-RN para avisar o que já se sabe: a coisa tá feia. E que notícia ruim não costumar vir sozinha, vem sempre em grupo e de uma só vez.

Finalmente a ficha caiu, tardiamente é verdade. O Minha Casa Minha Vida não nasceu para resolver o déficit de moradia popular, mas para aquecer a construção civil e inventar números que mantivessem viva a ideia de um mercado aquecido. Dilma era a heroína desse processo e, quando tem dinheiro envolvido, muitos empresários brasileiros são guerrilheiros do Val-Palmares desde criancinhas.

A falta de repasses do programa vem desde novembro do ano passado, menos de um mês depois de perpetrado o mega estelionato eleitoral das eleições. Dois ofícios do presidente do presidente do Sinduscon, Arnaldo Gaspar Júnior, comunicaram a paralisação das obras ao superintendente local da Caixa.

É a crise. E não vai parar por ai. Por sinal, está apenas começando.

Deixe seu comentário