Participação de chefs do eixo Sul-Sudeste dão notoriedade nacional ao Festival Gastronômico da Pipa

O Festival Gastronômico da Pipa deixou de ser apenas divulgado pelo Nordeste e, em sua nona edição, que acontece entre os dias 4 e 12 de outubro, ganhou notoriedade nacional (e porque não dizer internacional!).

A ampla divulgação se deu através da participação de chefs conhecidos no eixo Sul-Sudeste, como Mário Portela, da cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais; Marco Túlio Abras, de Belo Horizonte (MG); Paula Labaki, de São Paulo; Joyce Francisco, de Florianópolis (SC); e Jaqueline Faraco, de Porto Alegre (RS). A programação detalhada do Festival foi apresentada para a imprensa, na manhã dessa quinta-feira, 12, durante um café da manhã na Universidade Potiguar (UnP).

O grande destaque, que prestigiou ainda mais e deu uma notoriedade maior ao evento, fica por conta de três pessoas conhecidas internacionalmente: a educadora e crítica gastronômica Rosa Moraes; o pesquisador e chef Paulo Machado; e o chef Gabriel Vidolin, do restaurante O Leão Vermelho.

Rosa Moraes implantou primeiro curso superior de Gastronomia no Brasil

Rosa Moraes foi responsável pela implantação do primeiro curso superior de Gastronomia do Brasil, é Diretora de Gastronomia e Hospitalidade da Laureate Universities e recentemente esteve presente no corpo de jurados da revista britânica The Restaurant, que realiza anualmente uma eleição dos 50 melhores restaurantes do mundo, The World’s 50 Best Restaurants.

“Paulo Machado viaja o mundo a convite do Itamaraty para divulgar a cozinha brasileira”, explicou Cláudio Freitas, coordenador do evento, acrescentando que o Festival foi amplamente divulgado durante a Feira de Turismo das Américas, que aconteceu no início do mês de setembro em São Paulo.

Paulo Machado falará ao lado do chef potiguar Warison Santos sobre “Interiores: Sertão, Caipira e Peão de Comitiva”, no último dia do evento, às 20 horas. O Show de encerramento fica por conta da banda Uskaravelhos.

Talentos nordestinos

O Festival também receberá os chefs nordestinos Artur Coelho, consultor sênior e mestre de cerimônia do evento; que debaterá com Onildo Rocha, que vem se destacando na gastronomia paraibana com o “Casa Roccia”, em João Pessoa (PB), no sábado, 5.

Na quinta-feira, 10, o chef potiguar Márcio Freire recebe Rivandro França, do Cozinhando Escondidinho, em Recife (PE), recém-eleito Chef Revelação pela revista Prazeres da Mesa.

Já Walter Dantas, talento que se destaca a frente do Quintal da Villa, em Currais Novos, ficará responsável pelo segundo jantar do FESTIM, no Hotel Ponta do Madeiro, ao lado de Gabriel Vidolin. Também no dia 10, às 20 horas.

O Leão Vermelho

Com apenas 24 anos, Vidolin é nome de peso na gastronomia brasileira. Proprietário do restaurante O Leão Vermelho, situado na sua terra natal, São João da Bosta Vista, a 220 km da capital paulista, o chef prodígio se destaca por já ter passado pelas cozinhas espanholas do extinto El Bulli, do catalão Ferran Adrià; do Mugarritz do basco Andoni Luis Aduriz, em San Sebastian, no espanhol El Poblet, de Quique Dacosta, em Denia. De volta ao Brasil, trabalhou em dois dos melhores restaurantes do país: o D.O.M, de Alex Atala, e no carioca Le Pré Catelan, de Roland Villard.

 

Gabriel Vidolin comanda restaurante O Leão Vermelho

Em seu restaurante, casa onde cresceu e foi reformada, apenas quatro pessoas se dão o prazer de degustar o menu confiance do dia. Adepto de Ferran Adrià, conhecido por jantares extensos, Vidolin apresenta 24 pratos (dos quais a metade é de sobremesas) aos que tiveram disposição de viajar quilômetros para conhecer as iguarias do chef.

Alguns rituais também fazem parte dos clientes, que devem aderir para que o jantar corra na mais tranquila ordem: desligar os celulares, não tirarem fotos dos pratos e não consumirem bebidas alcoólicas. O último quesito tem uma justificativa: pode alterar no sabor e na textura do que é proporcionado durante a odisseia gastronômica. Ah! E tem mais uma premissa: a única mesa deve ser ocupada por pessoas que se gostem.

FESTIM

Os jantares particulares denominados de FESTIM também faz parte das novidades desse ano. Como acontece em outros eventos gastronômicos pelo mundo afora, Pipa também realizará as noites de galas, com jantares pomposos ministrados por chefs renomados.

Serão apenas dois jantares, dias 5 e 10, para um grupo fechado de 60 pessoas. No dia 5, o chef Tadeu Lubambo, do restaurante Camamo, de Tibau do Sul, comanda a cozinha ao lado da chef Sabrina Mahler, no Hotel Girassóis Lagoa Resort.

As reservas podem ser realizadas pelos telefones 3235-1950/1958/1959. Cada jantar custará R$ 230, por pessoa, com direito a menu completo harmonizado com bebidas.

Para quem quer curtir o evento e não sabe onde se hospedar, o diretor de marketing e vendas da Foco Operadora de Turismo e Eventos, Antônio Neto, explicou que há pacotes de duas noites a partir de R$ 173 por pessoa, em hospedagem em apartamento duplo, com direito a café da manhã e um jantar em um dos restaurantes participantes do Festival. “Esses pacotes estão disponíveis nas agências de viagens”, concluiu Neto.

Deixe seu comentário