POETA ZÉ SALDANHA: UMA VIDA DEDICADA À CULTURA POPULAR DO RN

Zé Saldanha: homenageado pela CMN

O poeta Zé Saldanha recebeu uma homenagem, mais do que merecida, ao ser  aprovado pela Câmara Municipal de Natal, no dia 10 do corrente, o Projeto de Lei do vereador George Câmara, denominando a área que fica por trás do Natal Shopping, em Ponta Negra, de Praça Poeta José Saldanha de Menezes Sobrinho.

Zé Saldanha, uma das figuras mais importantes da Literatura de Cordel, no Rio Grande do Norte, nasceu no dia 23/02/1918,na Fazenda Piató, em Santana do Matos (RN).

Em vida, recebeu muitas homenagens e foi parar no distrito de Poço de Pedra, em São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal, onde os alunos e a comunidade o receberam com muito carinho. Foram recitadas muitas poesias e colocado um boi de reis para dançar para o mestre. Saldanha ficou encantado com a homenagem recebida.

Infelizmente, Saldanha, não está mais entre nós, mas os ensinamentos e sua luta pela preservação da cultura popular, permanecem em nossa mente. Por isso, na missa de sétimo dia, da morte do mestre, rascunhei estas poucas palavras, para aquele, que aprendi a admirar e do qual me tornei seu fã.

A CHEGADA DE ZÉ SALDANHA NO CÉU

São Pedro ao recebê-lo
Foi tirando o chapéu
É com imenso prazer
Que abro as portas do céu
Para o mestre Zé Saldanha
O nosso rei do cordel

Telefonou pra Cascudo
Dizendo venha pra cá
Hoje é da de festa
Da cultura popular
Um amigo seu chegou
Venha cumprimentar

Cascudo quando chegou
Ficou feliz em revê-lo
Disse: aqui é um bom lugar
Por isso, cheguei primeiro
Receba as boas vindas
Do mestre Manoel Marinheiro

Manoel botou os galantes
Pra dançarem no salão
O boi dançou pra Saldanha
Fazendo uma saudação
O jaraguá, animou-se
E fez uma louvação

Apareceu Chico Antônio
Querendo logo embolar
Disse para o poeta
Amigo, venha cá
E logo outro talento
Chegou a se apresentar

Sou o Chico Santeiro
Entalhei coisas bonitas
Para o povo brasileiro
Quero que você receba
Mestre Chico Daniel
Nosso grande canguleiro

Apareceu Veríssimo Melo
Disse: aguarde que tem mais
Você vai gostar de ver
Esse gracioso rapaz
É o Elino Julião
Que encanta até demais

Elino disse, Saldanha
Hoje o amigo se apruma
Pois terá o prazer
De dançar o araruna
E o Cornélio Campina
Vai buscá-lo na tribuna

Saldanha, veio ao salão
Vestindo fraque e cartola
Dançou polca, dançou valsa
Lembrou os tempos de outrora
Encontrou com Jovelina
Disse: estou feliz, agora

Um cidadão parou a festa
Querendo se apresentar
Sou o grande Zé Areia
Talento deste lugar
Quero dançar, também
E ao mestre cumprimentar

A festa continuou e Jesus apareceu
Bem no meio do salão
Cumprimentando a todos
Com muita educação
Seja bem-vindo, Saldanha
Poeta lá do sertão

Vou convidar, também
Militana e Frei Damião
Para abençoar a todos
Nesta grande ocasião
E o rei Luís Gonzaga
Para tocar um baião

Saldanha, agradeceu
Disse: estou feliz agora
Encontrei muitos amigos
Da minha infância querida
Ao lado do papai e da mamãe
Minha turma preferida

Meus queridos familiares
Saudade vai, saudade vem
Daqui há muitos anos
Encontrarei vocês, também
Quero que todos saibam
Que os amo e quero bem.