Rombo do “Rabo de Palha 2” chega a R$ 430 milhões

Edvaldo Fagundes continua sendo investigado pela PF

Chegam aos 430 milhões de reais os prejuízos provocados pelo “Rabo de Palha 2” do antigo PFL do Rio Grande do Norte. Denominado, agora, de DEM, o partido tem como líder nacional o senador potiguar José Agripino Maia. O campo de atuação do esquema situava-se nos municípios de Natal,Mossoró, Catolé do Rocha, Grossos, Fortaleza e Macau , tendo como líder principal o empresário mossoroense Edvaldo Fagundes de Albuquerque.

Treze empresas de Edvaldo, ligadas politicamente ao senador José Agripino ,governadora Rosalba Ciarlini, prefeita Cláudia Regina e Carlos Augusto Rosado, chefe do Gabinete Civil do Governo do RN e marido da governadora, financiaram campanhas eleitorais do DEM, inclusive de Agripino,Rosalba e Cláudia, provocando o afastamento da governadora e a cassação do mandato da prefeita de Mossoró

Essas empresas atuam nos setores de carcinicultura, tecelagem, salineiro e vendas de veículos e combustíveis. Foram investigadas por 90 policiais federais e 26 auditores da Receita Federal, comprovando-se fraudes, sonegação de impostos e lavagem de dinheiro com a participação direta de “laranjas” ligados a lideranças políticas do RN, dentre elas a governadora e a prefeita de Mossoró.

Aeronave com as cores do DEM e o número 25

A Polícia Federal apreendeu o helicóptero de Edvaldo Fagundes pintado com as cores do DEM e número 25 usado nas campanhas do senador José Agripino, Rosaldo e Cláudia e, segundo o delegado Rubens França, “ já temos elementos suficientes para condenação desses indivíduos”. É certo que alguns deles dependem de decisão de tribunal superior.

APROPRIAÇÃO INDÉBITA

O Procurador da República, Vitor Mariz, assegura que houve na operação, apropriação indébita com crimes de sonegação fiscal, falsidade ideológica,associação criminosa e lavagem de dinheiro. A juíza Emanuela Mendonça de Brito, da Oitava Vara Federal de Mossoró, decidiu bloquear 212 milhões de reais do empresário agripinista-rosalbista.

São 32 empresas e 29 pessoas físicas envolvidas no Rabo de Palha-2 do PFL. Edvaldo Fagundes foi o principal financiador da campanha da prefeita cassada de Mossoró Dos R$ 3.154.654,28 arrecadados por ela, quase 500 mil reais foram dados, de uma só vez, pelo cabo eleitoral do ex-PFL .

RECOMPENSA APÓS A VITÓRIA DE CLÁUDIA REGINA

Eleita prefeita com o apoio de Agripino, Carlos Augusto e Fafá Rosado, todos do DEM, Cláudia Regina retribuiu o “apoio” recebido do afilhado político do senador do DEM. A nora de Edvaldo Fagundes, Tammy Mendes Gurgel, foi nomeada como chefe do Departamento Administrativo da Vice-prefeitura de Mossoró.

Teria sido por conta disso e de outras irregularidades que a Justiça Eleitoral de Mossoró mandou que a candidata agripinista-rosalbista Cláudia Regina(DEM) desocupasse o Palácio da Resistência cassando também o seu vice-prefeito e empossando o presidente da Câmara Municipal, vereador Francisco José Júnior.

A partir desta quarta-feira, dia 15, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal continuarão investigando as 37 empresas do agripinista-rosalbista Edvaldo Fagundes, o “homem da mala preta” do Rabo de Palha-2 do PFL-RN. Tem mais corrupção. Aguardem

Deixe seu comentário