Tag: álcool

25 ago by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Estudo mostra ligação entre álcool e suicídio na faixa de 25 a 44 anos

Um estudo feito pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) divulgado este ano em um jornal científico reforçou a ligação entre o consumo de álcool e o suicídio. Foram analisados 1,7 mil casos na cidade de São Paulo entre 2011 e 2015 a partir de exames toxicológicos e mais de 30% das vítimas apresentavam diferentes concentrações de teor alcoólico no sangue. Entre os homens essa porcentagem chegou a 34,7%. A maior parte dos analisados (49%0 corresponde a adultos jovens, com idade entre 25 e 44 anos. Dentro dessa faixa etária mais de 61% apresentavam álcool no sangue.

Desde 2012 a taxa de suicídio em brasileiros de 15 a 29 anos subiu quase 10% de acordo com a edição de 2010 do Mapa da Violência, feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio é a segunda causa mundial de mortes entre pessoas dessa faixa etária – mais de 90% estão ligados a distúrbios mentais.

12 out by João Ricardo Correia Tags:, , , , , , ,

Lei Seca: multa para quem for pego alcoolizado ao volante será de R$ 2.934,70

lei_seca

Quem for pego pela Operação Lei Seca dirigindo alcoolizado ou se recusar a fazer o teste do bafômetro, a partir do dia 1º de novembro, pagará uma multa muito superior ao valor cobrado atualmente, que é de R$ 1.915. Devido a  mudanças na legislação de trânsito, o valor subirá para R$ 2.934,70 e o motorista ainda terá a carteira de habilitação suspensa pelo prazo de 12 meses.

O motorista que falar ao celular enquanto dirige também será penalizado com mais rigor: de infração média (multa de R$ 85,13) para gravíssima (R$ 191,54). E quem estacionar indevidamente em vaga de idoso ou deficiente perderá sete pontos na carteira.

9 mar by Henrique Goes Tags:, ,

PGR DISCORDA DE PUNIÇÃO A MOTORISTA QUE SE NEGA A FAZER TESTE DO BAFÔMETRO

A Procuradoria-Geral da República (PGR) se posicionou contrária à punição de motoristas que se recusam a fazer teste de embriaguez ao volante por meio do bafômetro. O parecer é assinado pela subprocuradora-geral Deborah Duprat e integra três ações que tramitam no Supremo Tribunal Federal (STF).

bafometro
Imagem de internet

A  Lei Seca, de 2008, alterou o Código de Trânsito Brasileiro possibilitando penalidades e medidas administrativas ao motorista que se recusar a fazer testes, exames clínicos ou perícias para comprovar embriaguez ao volante. A norma foi mantida mesmo com as alterações da nova Lei Seca, de 2012.

O Ministério Público defende que a regra deve ser reconsiderada por ser inconstitucional. “Não se permite ao Estado compelir os cidadãos a contribuir para a produção de provas que os prejudiquem”, alega Duprat.

A nova Lei Seca, aprovada em 2012, impõe regras mais rígidas e tolerância zero de álcool para motoristas. E, ainda, legitima meios de prova alternativos para a constatação da embriaguez, como gravação de imagem, vídeo ou identificação de sinais de alteração da capacidade psicomotora.

Apesar das novas regras, concentrações pequenas de álcool só podem ser checadas por testes mais específicos, como bafômetro e exame de sangue, justamente os métodos de autoincriminação que a procuradora considera ilegais. De maneira prática, a anulação da regra inviabilizaria punições administrativas para os cidadãos que ingerem pequenas quantidades de álcool antes de dirigir. Atualmente, o motorista embriagado pode ser punido com multa de R$ 1.915,40, retenção do carro e suspensão do direito de dirigir por um ano.

Mesmo que considere esse ponto ilegal, a procuradora concorda com a tolerância zero de álcool ao volante.  Ela avalia que a lei é adequada por diminuir os riscos e danos à vida, é eficaz por reduzir os índices de acidentes de trânsito e é proporcional, pois “o custo que ela gera, de não permitir que se dirija sob influência de álcool, é infinitamente inferior aos benefícios que acarreta à segurança viária”.

A procuradora também concorda com o uso de diversos meios de prova para atestar a embriaguez ao volante, desde que não violem princípios constitucionais como o da não autoincriminação. “Tem se um rol não exaustivo de provas legalmente estabelecido, previamente conhecido pelos cidadãos, que poderá ser complementado caso a caso, a depender do surgimento de novas técnicas ou tecnologias de investigação, desde que respeitados os valores constitucionais”.

A procuradora também entende que a proibição de venda de bebidas alcoólicas em rodovias federais é legal, pois o Estado pode intervir em nome da proteção do direito à vida, integridade física, saúde e segurança. Ela defende o poder fiscalizatório da Polícia Rodoviária Federal nesses locais.

O parecer integra três processos diferentes, de autoria da Associação Brasileira de Restaurantes e Empresas de Entretenimento (Abrasel), da Confederação Nacional do Comércio (CNC) e da Associação Brasileira das Empresas de Gastronomia, Hospedagem e Turismo. As entidades questionam pontos da antiga Lei Seca, de 2008, mas a procuradora já emitiu as opiniões com base na nova lei “em homenagem ao princípio da economia processual”.

 

Com informações da Agência Brasil

23 fev by Henrique Goes Tags:, , , ,

UFRN ABRE SELEÇÃO PARA CURSO DE ATENÇÃO EM ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS

Unir esforços para combater um problema de saúde pública: o álcool e outras drogas. É com esse intuito que o Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva (NESC) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) em parceria com a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD), abre processo seletivo de alunos para as vagas remanescentes dos cursos de capacitação e aperfeiçoamento que serão realizados no âmbito do Centro Regional de Referência em Formação para Atenção em Álcool e Outras Drogas (CRR) de Natal/RN.

álcool
Imagem de internet

As inscrições acontecem até 8 de março. Em seguida o candidato deverá entregar a documentação solicitada no edital, na Secretaria do NESC, na Av. Gal. Cordeiro de Farias, no bairro Petrópolis.

O candidato que for  portador de necessidade especial (PNE) deverá fazer sua inscrição anexando declaração comprobatória da deficiência que porta, sendo-lhe reservado 5% das vagas existentes.

O edital completo está disponível através do link: http://nescufrn.files.wordpress.com/2013/02/edital_02_2013_curso_de_aperfeicoamento_em_alcool_-e_outras_drogas.pdf. Mais informações através do site: www.nescufrn.wordpress.com.

 

Com informações da Agecom

20 fev by Henrique Goes Tags:, , ,

ASSOCIAÇÃO ENTRE ÁLCOOL E DIREÇÃO É RESPONSÁVEL POR 21% DOS ACIDENTES DE TRÂNSITO

Pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde revela que 21% dos acidentes ocorridos no trânsito e cujos atendimentos foram feitos na rede do Sistema Único de Saúde (SUS) tinham como causa a ingestão de bebida alcoólica. Isso representa que de cinco casos, pelo menos um foi ocasionado por imprudência em decorrência de embriaguez. Os dados são referentes ao ano de 2011.

trânsito
Divulgação

De acordo com o levantamento do órgão ministerial, 22,3% dos condutores, 21,4% dos pedestres e 17,7% dos passageiros envolvidos em acidentes possuíam sinais de embriaguez ou confirmaram o consumo de álcool.As principais vítimas desta modalidade acidentes estão entre 20 e 39 anos de idade.

O estudo também revela que 54% dos homens que sofreram violência e 24,9% dos que sofreram acidente de trânsito estavam alcoolizados,ao passo que no caso das mulheres os números foram, respectivamente, 31,5% e 10,2%.

O Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, destacou que  40% das vítimas de acidente de trânsito e 28% das vítimas de violência possuem de 9 a 11 anos de escolaridade. “A imagem de que a vítima de violência associada ao álcool é algo presente apenas em população de baixa renda e com baixa escolaridade não se sustenta com esses dados”, disse.

Para o gestor da pasta da saúde, o resultado traz informações novas sobre as consequências que as mortes associadas ao álcool trazem ao país. “Estamos perdendo vítimas não só em uma faixa extremamente produtivas, mas também com grau de instrução extremamente qualificado”, explicou ele desmistificando a ideia de que os menos instruídos eram as principais vítimas.

O levantamento faz parte do Sistema Vigilância de Violências e Acidentes (Viva) do Ministério da Saúde,e  foi feito em 71 hospitais públicos de urgência e emergência em 2011. O documento  mostra que o consumo de álcool tem forte impacto nos atendimentos de urgência e emergência do Sistema Único de Saúde (SUS). A pesquisa ouviu 47 mil pessoas em todas as capitais e no Distrito Federal.

Segundo o ministro da Saúde, em 2011, foram investidos R$ 200 milhões na internação de vítimas de acidentes de trânsito, “sem contar com reabilitação e com segunda cirurgia, muito frequentes em vítimas de acidentes”.

 

Com informações da Agência Brasil

 

Fale no ZAP