10 out by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Mulher e filho de José Adécio viram aliados da senadora petista Fátima Bezerra

Reprodução do Blog da Thaisa Galvão mostra os sorrisos dos novos aliados políticos: Neide, Fátima e Gustavo

“Político sem mandato, só o vento bate nas costas”. A frase é de autoria do deputado estadual José Adécio Costa, democrata de carteirinha e amigo há décadas do senador José Agripino. Nas eleições de 2018, Agripino tentou ser deputado federal, perdeu. Adécio não foi candidato, por ter sido declarado inelegível pelo TRE, permaneceu no DEM e tentou manter sua estrutura na Assembleia Legislativa lançando um dos filhos, Gustavo Costa, candidato pelo PSD do governador Robinson Faria. Gustavo perdeu. Robinson também.

Hoje, o blog da jornalista Thaisa Galvão (veja acima) publicou que a mulher de José Adécio, Neide Suely, filiada ao DEM e afastada pelo TRE do cargo de prefeita de Pedro Avelino, vai apoiar a candidatura de Fátima Bezerra, do PT, ao governo do Estado, acompanhada do filho derrotado recentemente.

José Agripino Maia foi uma das principais figuras do DEM no cenário nacional, chegou a presidir o partido, mas agora, reprovado nas urnas, não conseguindo chegar a deputado federal, começa a perceber que a frase dita pelo aliado José Adécio faz sentido. E Adécio, que apoiou Robinson Faria no primeiro turno, ainda não se pronunciou.

É a tal dinâmica na política. O PT, tão criticado pelo DEM de Agripino e Adécio, recebe o apoio no RN de uma ex-prefeita do Democratas, casada com um dos maiores parceiros políticos de Jajá de todos os tempos.

Mas em política partidária, tudo é possível. Em 2014, Robinson e Fátima era parceiros. Ele pedia votos para ela se eleger senadora e ela declarava sua preferência por ele para governador. Depois, se afastaram e hoje Fátima concorre ao Governo do RN com o ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves.

No primeiro turno, ex-prefeita Neide e Gustavo Costa pediram voto para Robinson no município de Pedro Avelino, na Região Central do RN (Foto: Facebook)
10 out by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

DEM e PR liberam integrantes para apoio no segundo turno

Bolsonaro e Haddad serão votados, mais uma vez, no dia 28 de outubro

O Democratas soltou nota na manhã de hoje (10) para informar que está liberando os líderes e militantes da legenda para apresentar a sua manifestação de voto no segundo turno, “seguindo as suas convicções”.

No documento, assinado pelo presidente nacional do DEM, Antonio Carlos Magalhães Neto (ACM Neto), o partido afirma que mantém o compromisso de contribuir com a construção de um “Novo Brasil” e diz que o momento pede a substituição da prática do “toma lá dá cá” da velha política pelos verdadeiros interesses públicos. “Governar com os mais qualificados e ter responsabilidade fiscal. Encontrar uma solução para os mais de 13 milhões de brasileiros que estão desempregados. É hora de enfrentar, com coragem e determinação, o desafio de soerguer o nosso país”, disse ACM Neto.

O PR também vai liberar seus integrantes para apoiar um dos dois candidatos à Presidência no segundo turno: Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). A informação foi dada há pouco pelo líder da legenda na Câmara, deputado José Rocha. Segundo ele, a decisão foi da comissão executiva nacional do partido.

“O Partido da República decidiu liberar toda a bancada para que tome a decisão que achar melhor em cada estado. Os deputados estão liberados para seguir ou com Bolsonaro ou com Haddad”, disse Rocha. “Temos duas candidaturas em campos totalmente opostos. Temos parlamentares que apoiam Bolsonaro e que apoiam Haddad, que é, por exemplo, o meu caso”.

Por Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil / Brasília

8 out by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Jajá e Adécio: amigos e antigos aliados sofrem derrotas e dizem adeus ao poder

Dois políticos das antigas, aliados, amigos de longas datas, saíram derrotados nas eleições de 2018, no Rio Grande do Norte: o senador José Agripino, ex-governador do Estado, não conseguiu ser eleito deputado federal e o deputado estadual José Adécio, ambos do DEM, não conseguiu eleger o filho Gustavo Costa para o cargo.

José Agripino Maia, conhecido também como Jajá e Galego do Alecrim, ex-prefeito biônico de Natal e ex-governador potiguar, conhecedor das dificuldades que enfrentaria para ser reeleito senador e tentando manter o foro privilegiado, pois tem seu nome citado na Operação Lava Jato (https://g1.globo.com/politica/noticia/supremo-aceita-denuncia-e-torna-o-senador-agripino-maia-reu-por-corrupcao.ghtml), fez uma manobra medonha e saiu derrotado. Seu filho Felipe Maia desistiu da candidatura à reeleição como deputado federal, achando que José será eleito em seu lugar. Os dois dançaram.

José Adécio Costa começou a vida partidária pelas mãos de José Agripino, sendo eleito prefeito de Pedro Avelino, na Região Central do RN. Depois, foi eleito oito vezes deputado estadual. Este ano, tornou-se inelegível (http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/tre-deixa-josa-ada-cio-inelega-vel-e-cassa-prefeita-de-pedro-avelino/409594) e tentou passar o bastão para Gustavo Costa, mas não conseguiu. A mulher de Adécio, Neide Suely, foi eleita prefeita de Pedro Avelino em 2016 – pela terceira vez -, mas foi afastada do cargo pela Justiça e na eleição suplementar foi derrotada, sendo eleito no município um adversário.

Dois tradicionais “Josés” encararão, a partir de 2019, a realidade longe do poder que os cargos lhes concediam.

Foto: Mariana Di Pietro

6 set by João Ricardo Correia Tags:, , , , , , , ,

José Adécio não descarta disputar a majoritária após percorrer 75 municípios do RN

 

Nos últimos dois meses, o deputado José Adécio (DEM) percorreu 75 municípios do Rio Grande do Norte, prestigiando eventos que vão de cavalgadas a festas de emancipação política, passando por exposições agropecuárias, procissões e visitas a líderes políticos. A movimentação do experiente parlamentar tem chamado a atenção, principalmente daqueles que militam nos bastidores da política, incluindo-se aí os próprios detentores de mandatos, jornalistas e pré-candidatos em 2018.

Além das viagens, o deputado José Adécio tem comparecido com maior frequência a gabinetes de deputados federais, senadores e ministros, em Brasília, sempre acompanhado de prefeitos que integram seu grupo político. Da capital federal, além de projetos apresentados e com chances palpáveis de execução, emendas parlamentares têm sido liberadas para obras em várias cidades, como também ambulâncias e carros coletores compactadores de lixo.

Amigo e liderado político do senador José Agripino (DEM) há mais de 30 anos e também com livre acesso ao senador Garibaldi Filho (PMDB), José Adécio tem partilhado os anseios dos municípios também com os deputados federais Beto Rosado (PP), Felipe Maia (DEM), Walter Alves (PMDB), Rogério Marinho (PSDB) e Antônio Jácome (Podemos).

22 nov by João Ricardo Correia Tags:, , , , , ,

Aliados de Temer: líderes da base governista farão manifesto de apoio a Geddel

temer_e_geddel

Os líderes de partidos da base do governo federal apresentarão hoje (22) um manifesto de apoio ao ministro Geddel Vieira Lima, que comanda a Secretaria de Governo.

O documento é apresentado após declarações do ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, de que foi pressionado por Geddel para facilitar a liberação da construção de um edifício em Salvador.

Segundo o líder do governo na Câmara dos Deputados, André Moura (PSC-SE), Geddel tratou do tema “informalmente” com Calero, não havendo, portanto, “qualquer pressão, gerência ou imposição” para que o ex-ministro facilitasse a construção do edifício.

O ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, pediu demissão do cargo na última sexta-feira (18), alegando razões pessoais. No fim de semana, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, afirmou que  o ministro Geddel Vieira Lima o pressionou a intervir junto ao Instituto do Patrimônio  Histórico Artístico Nacional (Iphan) para liberar a construção de um edifício de alto padrão em Salvador, onde Geddel adquiriu um imóvel.

5 jul by João Ricardo Correia Tags:, , , , , ,

ilegalidade: José Agripino Maia recebe 90,2% acima do limite constitucional

JAJA4
Senado José Agripino Maia, líder do DEM, conhecido também no RN como “Jajá”, abocanha R$ 30.471,11 como “pensão especial de ex-governador” e mais R$ 33.763 por ser senador

O Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte (MPF/RN) ingressou com uma ação cobrando que a União inclua os R$ 30.471,11 recebidos mensalmente pelo senador José Agripino Maia a título de “pensão especial de ex-governador” na base de cálculo de seu teto salarial. O político já recebe R$ 33.763 de subsídio pelo cargo no Senado. As duas fontes totalizam R$ 64.234,11, valor 90,2% acima do limite constitucional, que atualmente é de R$ 33.763.

O teto salarial está previsto no artigo 37, XI, da Constituição Federal e foi regulamentado em 4 de junho de 1998 pelo Congresso Nacional, por meio da Emenda Constitucional nº 19. A partir daquela data, as remunerações dos servidores públicos, inclusive quando provenientes de mais de uma fonte, não poderiam ultrapassar o subsídio mensal dos Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que hoje é de R$ 33.763, o mesmo valor do atual subsídio dos senadores.

12 jan by João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

José Agripino quer criar fundo para combater a seca no Nordeste

JOSEAGRIPINO1_AGENCIABRASIL

O Legislativo poderá criar o Fundo de Atendimento às Situações de Emergência e de Calamidade Pública Decorrentes de Secas (Fasec) para enfrentar a estiagem que historicamente sacrifica o Nordeste. A iniciativa é do senador José Agripino (DEM-RN), segundo o qual mais de mil municípios e 22 milhões de pessoas foram afetadas pela última seca a atingir a região, causando perdas na lavoura estimadas em R$ 3,6 bilhões.

O projeto (PLS 791/2015) cria o fundo no âmbito do Poder Executivo federal, determinando que ele seja gerido por um conselho deliberativo com apoio técnico e administrativo do órgão que executa a Política Nacional de Defesa Civil. O conselho deliberativo terá também representantes do Senado, da Câmara, dos estados e municípios.

Se aprovado, o Fasec será um fundo de natureza contábil, com prazo indeterminado de duração, e funcionará sob as formas de apoio a fundo perdido ou de empréstimos reembolsáveis. Ele será constituído com recursos do Tesouro Nacional, doações, legados, subvenções e auxílios de entidades de qualquer natureza, inclusive de organismos internacionais, além da reversão de saldos anuais não aplicados e de outras fontes.

Pelo texto apresentado, os recursos do Fasec não poderão ser utilizados para despesas de manutenção administrativa do órgão gestor ou entidade da administração pública, permitida somente a aquisição ou locação de equipamentos e bens necessários ao atendimento das situações de emergência e calamidade pública decorrentes de secas.

O saldo dos recursos não aplicados no mesmo exercício, como prevê o projeto, poderá ser destinado, no ano subsequente, à construção de reservatórios de água, sistemas de captação de água e adutoras ou ser mantido como reserva para atendimento mais eficaz às eventuais e futuras situações de emergência ou de calamidade pública, decorrentes das secas.

O texto de Agripino ainda se encontra na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR), à espera da designação de relator. De lá, seguirá para a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), onde será votado em decisão terminativa.

 
Fonte: Agência Senado
Foto: Agência Brasil

5 out by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Câmara aprova reaproveitamento de água da chuva nas escolas

DAGODEANDRADE1_ELPIDIOJUNIOR

Por unanimidade, e em primeira discussão, o plenário da Câmara Municipal de Natal aprovou durante a sessão ordinária de terça-feira (30) o Projeto de Lei nº 0061/2014, de autoria do vereador Dagô Andrade (DEM), que estabelece o armazenamento e reaproveitamento de águas pluviais para abastecer as escolas municipais.

“O Brasil atravessa uma das piores crises hídricas de sua história, e a falta d’água afeta milhões. Então, esta matéria ajuda a melhorar a situação através do envolvimento da comunidade escolar com a questão da consciência ambiental. Acredito, inclusive, que os benefícios deste projeto podem ir além dos muros das escolas”, defendeu o vereador Dagô Andrade.

Em segunda discussão, o plenário deu parecer favorável à matéria encaminhada pelo vereador Fernando Lucena (PT) que obriga a fixação de placas indicativas de denominação das Unidades Básicas de Saúde – UBS’s e Unidades de Pronto Atendimento – UPA’s.

Também em segunda discussão, foi acatada a proposição do vereador Sandro Pimentel (PSOL) sobre a instituição do Serviço de Atendimento Veterinário Móvel, para urgência e emergência dos animais em situação de rua ou sob proteção de cuidadores domiciliares.

Ao final da sessão, os parlamentares aprovaram texto que altera o Artigo 3º da Lei Municipal nº 4.743, de 26 de março de 1996. A medida, apresentada pelo vereador Júlio Protásio (PSB), transfere da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Finanças (Sempla) para o PROCON a atribuição de fiscalizar a execução da lei da meia-entrada para estudantes.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal do Natal
Texto: José Martins Junior
Fotos: Elpídio Júnior

29 set by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Ney Lopes vai deixar o DEM após atitude “autoritária” de José Agripino

NEYLOPESPAI

O ex-deputado Ney Lopes (FOTO), afirmou na manhã deste sábado, 27, que dará entrada no seu pedido de desfiliação do DEM no próximo dia 6 de outubro porque não reúne mais condições de permanecer na legenda após ter sido praticamente expulso pelo presidente nacional do partido, senador José Agripino no episódio que envolveu a governadora Rosalba Ciarlini quando teve o seu direito de disputar a reeleição negado. “A decisão do senador José Agripino foi autoritária e antidemocrática”, disse o ex-deputado, que foi um dos parlamentares brasileiros de maior prestígio internacional, principalmente por ter presidido o Parlatino – Parlamento Latino Americano, onde realizou um trabalho de integração entre Países do Caribe e América Central, principalmente.

Ney Lopes disse que sai do DEM, que considera uma legenda em extinção, mas não deixa a vida pública, inclusive pretendendo ser candidato nas eleições estaduais de 2018. “Sou da mesma geração de Garibaldi Filho, José Agripino, Henrique Eduardo e todos estão em intensa atividade política. Por que não poderei ser candidato para continuar contribuindo com o Rio Grande do Norte?, questiona. Ele informa que depois de consolidada a decisão de sair do DEM vai esperar pelas mudanças que no seu entendimento certamente ocorrerão no sistema político brasileiros. “Vou esperar para definir meu próximo partido”, ressalta, prevendo que o atual sistema político-eleitoral deve extinguir alguns partidos.

Questionado se sairá do DEM com mágoas, Ney Lopes disse que não, mesmo considerando-se injustiçado pela cúpula nacional da legenda que tem como principal dirigente o senador José Agripino. “Não tenho ressentimento nem sou inimigo pessoal do presidente do partido, mas entendo que venho sendo preterido há muito tempo, e agora fui mais uma vez desconsiderado. Sou membro permanente e vitalício da Executiva Nacional por ter sido presidente do Instituto Tancredo Neves e nunca fui chamado para participar das reuniões do partido”, disse ele.

INJUSTIÇA À ROSALBA

Por fim,o ex-deputado Ney Lopes diz que o DEM é um partido em fase de extinção, prevendo que após as eleições deste ano deverá fazer uma fusão com outras legenda, provavelmente com o PMDB. “O DEM acabou-se”, resumiu Ney Lopes, lembrando que o partido cometeu também uma grande injustiça com a governadora Rosalba Ciarlini quando lhe negou a legenda para se aliar com o PMDB e apoiar a candidatura do deputado Henrique Eduardo Alves para governador do Rio Grande do Norte. “Rosalba tinha o direito e legitimidade para ser candidata à reeleição, mas foi preterida numa atitude autoritária e antidemocrática”, reiterou o ex-deputado.

24 jun by João Ricardo Correia Tags:, , ,

Ministro do STJ paralisa ação de improbidade contra José Roberto Arruda

José Roberto Arruda foi condenado no “Mensalão do DEM”

O ministro Napoleão Nunes Maia Filho, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), concedeu liminar para suspender o andamento de uma ação de improbidade administrativa movida contra o ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda. O réu havia sido condenado em primeira instância e aguardava o julgamento da apelação pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF).

A suspensão vale até que o STJ julgue recurso especial interposto pela defesa do ex-governador contra acórdão do TJDF que rejeitou a arguição de suspeição do juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública do DF, Álvaro Luis de Araújo Ciarlini. Nesse recurso especial, será decidido se o juiz permanece ou não no caso.

Arruda foi condenado pelo juiz por envolvimento no suposto esquema de compra de apoio político na Câmara Legislativa do Distrito Federal, conhecido como “mensalão do DEM”.

Na medida cautelar em que pediu a suspensão, a defesa alegou que, diante da “farta comprovação” de quebra da imparcialidade esperada do magistrado de primeiro grau, a iminência do julgamento da apelação interposta no TJDF contra a sentença que condenou o ex-governador caracteriza o fumus boni iuris (plausibilidade do direito alegado) e o periculum in mora (risco de dano irreparável), requisitos para a concessão da liminar.

Organização criminosa

A defesa sustenta que a parcialidade do juiz foi revelada em outro processo, quando condenou o deputado distrital Benedito Domingos. Naquela sentença, o magistrado se manifestou publicamente sobre a existência de uma organização criminosa no âmbito do governo do DF durante a gestão Arruda. Para a defesa, o juiz estava previamente comprometido a condenar o ex-governador, pois de outra forma cometeria “grave e patente contradição”.

A suspeição foi alegada primeiramente perante o próprio juiz, que se recusou a processar o incidente. A defesa contestou este ato do juiz, mas não teve sucesso no TJDF e entrou com o recurso especial. Na sequência, ajuizou medida cautelar pedindo que fosse dado efeito suspensivo ao recurso especial para sustar o processo principal na segunda instância – o que foi atendido na liminar do ministro Maia Filho.

Segundo a defesa, ao rejeitar a petição inicial de exceção de suspeição contra si mesmo e dar andamento à ação, o juiz Álvaro Ciarlini violou dispositivos do Código de Processo Civil (CPC) e a jurisprudência do STJ.

 

(Fonte: Portal do STJ)

Fale no ZAP