20 set by João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Até “gato” em furacão a bandidagem planeja fazer

Não tenho nem dúvida: se esses furacões tipo Irma e Maria chegassem ao Brasil, não faltariam bandidos querendo fazer um “gato” para desviar vento e vender engarrafado.

5 nov by João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Sem risco à fauna local, moradores podem ter cães e gatos em condomínio

caoegato1

Por considerar que os quatro cães e dois gatos são “membros da família”, uma vez que vivem com ela há muitos anos, e não ameaçam os animais silvestres que vivem na região, a 3ª Câmara Civil do Tribunal de Justiça de Santa Catarina concedeu liminar a um casal permitindo seus bichos de estimação continuem a viver com eles no condomínio onde moram.

Os condôminos proibiram, em assembleia geral, animais domésticos no local. Como o casal se recusou a abrir mão dos cães e gatos, os vizinhos foram à Justiça. De acordo com eles, presença dos bichos poderia prejudicar os animais silvestres da região — o imóvel fica em uma área de preservação permanente.

31 ago by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Raiva humana: menino de 9 anos morre após ser agredido por gato

GATOBRABO1_GATOSMANIA-COM
Imagem meramente ilustrativa

Após nove dias internada na UTI pediátrica do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel (HMWG), uma criança de um ano e oito meses, oriunda da Paraíba, morreu no início da tarde deste domingo (30) com diagnóstico de raiva humana. O menino A.V.F teria sido agredido por um gato há cerca de um mês, também naquele estado. Após ter apresentado mal estar geral sem sinais de melhora, a criança foi trazida por familiares para ser tratada em hospitais do Rio Grande do Norte.

De acordo com a Subcoordenadoria de Vigilância Ambiental (Suvam) da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) a doença só foi confirmada por exames na última sexta-feira (28), mas desde que deu entrada na unidade, no dia 21 de agosto, a criança já vinha recebendo o tratamento recomendando pelo Ministério da Saúde para a Raiva Humana. Os médicos seguiram o protocolo que foi utilizado em dois casos de humanos que sobreviveram à raiva, um em Floresta/PE em 2008 e o outro em Milwaukee, Estados Unidos, em 2004. Segundo a Suvam, o diagnóstico foi realizado pelo Instituto Pasteur/SP através do teste da Imunoflurescência Direta (IFD) em biópsia do folículo piloso.

O paciente residente no município paraibano de Jacaraú, após ter apresentado mal estar foi trazido no dia 20 de agosto pela família ao Hospital Monsenhor Pedro Moura, em Nova Cruz/RN. Na ocasião apresentava um quadro de desidratação, vômito, febre, dispnéia e hipertensão arterial. Desta unidade de saúde o paciente foi transferido no mesmo dia, via Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), para o Hospital Infantil Varela Santiago. A criança apresentava agressividade, irritabilidade e fotofobia. No dia 21 de agosto, diante da necessidade de realização de uma tomografia computadorizada de crânio, foi transferido para o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel em Natal.

Nesta unidade, foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sendo realizada a tomografia, coleta de líquor cefalorraquidiano e biópsia de folículo piloso, sendo estas amostras encaminhadas para o Instituto Pasteur em São Paulo, e para outros laboratórios de referência para encefalites. A partir da suspeita de raiva foi iniciado no HMWG o Protocolo de Tratamento da Raiva Humana. Ao mesmo tempo, a Sesap notificou a Secretaria de Saúde da Paraíba que logo iniciou investigação no local de residência do paciente. Quatro outras pessoas do município de Jacaraú/PB que foram agredidas pelo animal iniciaram a profilaxia antirrábica, com administração de soro e vacinas. Além destas, o pai do paciente também iniciou profilaxia antirrábica.

O último caso de raiva humana registrado no RN foi em 2010, no município de Frutuoso Gomes, neste caso sendo o morcego o animal transmissor da doença. No mundo estima-se que a raiva leve a óbito uma pessoa a cada dez minutos, especialmente na Ásia e África, sendo os casos de sobrevivência raros, pois a doença é considerada 100% letal. Este ano o Brasil já registrou um óbito humano por raiva transmitida por um cão de rua no estado do Mato Grosso do Sul.

No Rio Grande do Norte, segundo dados do Programa Estadual de Controle da Raiva da Sesap em 2015 já foram diagnosticados laboratorialmente 26 casos de raiva animal em 14 municípios. São eles: Acari, Caicó, Ceará-Mirim, Encanto, Monte Alegre, Natal, Pau dos Ferros, Pedro Velho, Riacho de Santana, São Fernando, São Gonçalo do Amarante, Serrinha dos Pintos, Tenente Ananias e Várzea. Os animais acometidos foram, sobretudo bovinos (12 casos) e morcegos não hematófagos (9 casos). Além desses animais, também chama a atenção o caso de raiva canina ocorrido em Caicó. Os outros animais acometidos foram: suínos, cavalo e raposa.

A raiva é uma zoonose transmitida ao homem pela inoculação do vírus presente na saliva e secreções do animal infectado, principalmente pela mordedura e lambedura. Caracteriza-se como uma encefalite progressiva e aguda que apresenta letalidade de aproximadamente 100% dos casos. No Brasil, caninos e felinos constituem as principais fontes de infecção nas áreas urbanas.

A Sesap alerta a população da importância de se buscar atendimento médico para profilaxia da raiva na ocorrência de qualquer agressão por mamíferos (cão, gato, morcego, sagui, raposa, dentre outros). Além disto, reforça a necessidade de vacinar os animais domésticos anualmente contra a raiva, bem como evitar se aproximar de animais desconhecidos. A partir da suspeita de raiva em um animal, a recomendação é procurar a Secretaria de Saúde de seu município para encaminhamento da amostra para diagnóstico laboratorial. Diante de um resultado positivo nos animais, medidas de controle devem ser iniciadas na área da ocorrência, como a revacinação em massa dos animais domésticos.

 
Fonte: Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Saúde Pública
Foto: www.gatosmania.com

 

Fale no ZAP