8 out by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Jajá e Adécio: amigos e antigos aliados sofrem derrotas e dizem adeus ao poder

Dois políticos das antigas, aliados, amigos de longas datas, saíram derrotados nas eleições de 2018, no Rio Grande do Norte: o senador José Agripino, ex-governador do Estado, não conseguiu ser eleito deputado federal e o deputado estadual José Adécio, ambos do DEM, não conseguiu eleger o filho Gustavo Costa para o cargo.

José Agripino Maia, conhecido também como Jajá e Galego do Alecrim, ex-prefeito biônico de Natal e ex-governador potiguar, conhecedor das dificuldades que enfrentaria para ser reeleito senador e tentando manter o foro privilegiado, pois tem seu nome citado na Operação Lava Jato (https://g1.globo.com/politica/noticia/supremo-aceita-denuncia-e-torna-o-senador-agripino-maia-reu-por-corrupcao.ghtml), fez uma manobra medonha e saiu derrotado. Seu filho Felipe Maia desistiu da candidatura à reeleição como deputado federal, achando que José será eleito em seu lugar. Os dois dançaram.

José Adécio Costa começou a vida partidária pelas mãos de José Agripino, sendo eleito prefeito de Pedro Avelino, na Região Central do RN. Depois, foi eleito oito vezes deputado estadual. Este ano, tornou-se inelegível (http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/tre-deixa-josa-ada-cio-inelega-vel-e-cassa-prefeita-de-pedro-avelino/409594) e tentou passar o bastão para Gustavo Costa, mas não conseguiu. A mulher de Adécio, Neide Suely, foi eleita prefeita de Pedro Avelino em 2016 – pela terceira vez -, mas foi afastada do cargo pela Justiça e na eleição suplementar foi derrotada, sendo eleito no município um adversário.

Dois tradicionais “Josés” encararão, a partir de 2019, a realidade longe do poder que os cargos lhes concediam.

Foto: Mariana Di Pietro

2 maio by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Jajá acusa governo Dilma de conduzir o país à ‘quebradeira geral’

JOSEAGRIPINO1_AGENCIABRASIL

O senador José Agripino (DEM-RN) criticou, nesta quinta-feira, o governo por ter conduzido o país ao que chamou de “quebradeira geral” por falta de racionalização do gasto público. Em sua opinião, o governo é levado a aumentar a taxa de juros como “remédio único” contra a inflação, mas sem conseguir conter o aumento de preços.

Agripino, conhecido como “Jajá” no Rio Grande do Norte, citou números sobre a queda na renda dos brasileiros, avaliando que a situação ficará ainda pior depois da elevação dos juros, e alertou que a retração econômica causará aumento do desemprego. O senador também manifestou preocupação com a paralisação de obras públicas essenciais por falta de dinheiro, o que, para ele, revela a “impotência” do governo de encontrar alternativas para sair da crise.

  • O movimento das ruas, que tem várias razões, seguramente vai ser engordado por uma horda de pessoas iradas pelo desemprego, de um governo que não está sabendo, não está tendo talento, não está tendo condições de combater a inflação que não seja pelo aumento da taxa de juros que gera depressão na atividade privada.

 

 

Com informações da Agência Senado / Foto: Agência Brasil

Fale no ZAP