24 out by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

“Por trás das grades” estará disponível na 14ª Feira do Livro de Mossoró

Márcio Morais e sua primeira obra: sucesso de vendas supera as expectativas

Com mais de 2.000 copias vendias, através das redes sociais em todo o Brasil, o livro “Por trás das grades”, de autoria do agente penitenciário e acadêmico de jornalismo na Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), Márcio Morais, estará disponível no Estande da L.C. Cultural, na 14ª Feira do Livro de Mossoró que vai de 30 de outubro a 4 de novembro no Partage Shopping Mossoró.

“A obra tem 58 capítulos e 215 páginas, mostra uma realidade pouco conhecida pela maioria das pessoas – que é o sistema penitenciário – além do dia a dia do agente penitenciário, do preso e de seus familiares”, comenta Morais.

17 out by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Relato sobre presídios do RN, “Por trás das grades” supera expectativas de venda

O livro “POR TRÁS DAS GRADES”, escrito pelo agente penitenciário Márcio Morais, superou as expectativas e comemora duas mil cópias vendidas, contando a realidade nua e crua dos presídios do Rio Grande do Norte. Em Natal, a publicação está disponível na Livraria da Cooperativa Cultural, no campus central da UFRN, e na Revistaria do Nordestão, em Capim Macio.

A obra pode ser pedida pelo WhatsApp (84)99662-4050, sendo entregue pelos Correios em qualquer lugar do Brasil.

15 ago by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Joaquim Pinheiro conta um pouco de sua trajetória em “Relatos, Notícias e Memórias”

O jornalista Joaquim Pinheiro, nascido lá nas “Canoas”, perto de Santa Cruz, no interior do Rio Grande do Norte, lança hoje, dia 15, seu primeiro livro “Relatos, Notícias e Memórias”, no Espaço Cultura Fernando Chiriboga, no Midway Mall, às 19 horas.

Apaixonado pelo sertão e pelas tradições nordestinas, se diverte ouvindo os repentistas. Já saiu de Natal para Serra de São Bento só para ver matar um porco e depois, claro, apreciar o leitão assado. Profundo conhecedor da política, principalmente a potiguar, tem livre acesso à maioria dos vereadores, deputados, senadores, governadores. Também já entrevistou presidentes da República, ministros e dá belas “gaitadas” recordando alguns episódios.

Tomara que ele conte também uma mania que tem quando viaja pelo interior e vê as moitas na beira da estrada…

Gente boa, teima em se mostrar bruto, diz que “amigo só pai e mãe”, às vezes é ranzinza, mas tem o coração do tamanho do mundo. Quer vê-lo com raiva? Mande pra ele mensagens religiosas, puxe conversa sobre padres, pastores evangélicos, budistas, espíritas e por aí vai. Pense numa pegada de ar que ele dar!!!

Pinheirão “bate uma bolinha” toda semana. Mesmo com os joelhos bichados, é frequentador assíduo de peladas em Parnamirim e no campo do Quartel da PM. Eu não duvido que ele participa de outras peladas, mas deixa pra lá…

É uma figura esse, agora, escritor. Pra ele, até arrisco dizer, que mesmo com sua cara amarrada, com esse jeitão de ser, quem o conhece sabe bem que ele faz o que pode fazer para ajudar a quem merecer. Sabido e astucioso, Pinheiro vive a vida buscando no povo elementos para escrever, para sorrir, para pensar e para continuar, mesmo sem admitir, fazendo amigos e deixando saudades do papo quem tem para oferecer. Tirando onda com ele, o trato como Pinheirão, meu amigão, cara de mamão. É isso. Sucesso a Joaquim Tavares Pinheiro!

João Ricardo Correia

23 nov by João Ricardo Correia Tags:, , , , , ,

Humano Demais: livro contra trajetória do padre Fábio de Melo

humano_demais_livro
O padre Fábio de Melo ganhou uma biografia. O livro Humano Demais, que conta a trajetória de vida dele, foi escrito por Rodrigo Alvarez, jornalista e correspondente da TV Globo em Berlim. Nesse domingo (20), os dois estiveram juntos em São Paulo, para o lançamento da obra.

No local do lançamento do livro, uma multidão esperava um grande momento. “Ele passa uma coisa muito linda para nós, traz alegria para corações tristes”, diz uma fã. A espiritualidade que transmite, deixa a gente motivado emocionalmente e espiritualmente para motivar outras pessoas”, declara o funcionário público Adelson de Oliveira.

Claro que todas essas pessoas foram ver de perto o padre que canta, filosofa, aparece na televisão, é sucesso nas redes sociais… Mas agora, com o livro, o público vai realmente conhecê-lo um pouco mais: as dificuldades na infância, as dores e todos os momentos surpreendentes da história do padre.

28 fev by João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Paulo Henrique Amorim analisa meio século de mudanças na mídia brasileira

PAULOHENRIQUEAMORIMEWALDIR1
Jornalista Paulo Henrique Amorim e este colunista

Em passagem por Natal, o renomado jornalista Paulo Henrique Amorim participou da palestra “Na Trilha da Democracia”, na última segunda-feira (22), no auditório da Escola de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, no evento realizado pela ADURN, SINDIPETRO-RN, em parceria com a Frente Brasil Popular.

Numa Conversa Afiada, o jornalista debateu a atual conjuntura brasileira, criticando a manipulação da justiça pela rede globo. Ele recomendou a leitura do livro “A Tolice da Inteligência Brasileira”, do sociólogo Jessé Souza.

Na oportunidade, foi lançado o seu mais recente trabalho: “O 4º PODER  – UMA OUTRA HISTÓRIA”, onde ele “analisa meio século de mudanças na mídia brasileira”, recheado de informações inéditas, que somente quem adquirir o livro terá o prazer de conhecê-las.

Com um currículo bastante respeitado, Paulo Henrique contabiliza inúmeros trabalhos, atuando no Jornal da Noite, Revista Manchete, Revista Fatos e Fotos, Revista Realidade, Revista Veja, Revista Exame, Jornal do Brasil, Fantástico, Jornal da Band, Fogo Cruzado, Conversa Afiada, Jornal da Record, Edição de Notícias e Domingo Espetacular, sempre procurando mostrar a realidade dos fatos.

3 fev by João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Justiça do Rio de Janeiro proíbe venda de livro de Adolf Hitler

HITLER1

A 33ª Vara Criminal do Rio de Janeiro proibiu a venda do livro Minha Luta (Mein Kampf, em alemão), escrito por Adolf Hitler, em 1925. A decisão, assinada pelo juiz Alberto Salomão Junior, foi proferida em ação cautelar ajuizada pelo Ministério Público estadual. O descumprimento está sujeito a multa de R$ 5 mil.

Para o juiz, a obra incita práticas de intolerância contra grupos sociais, étnicos e religiosos. Na decisão, ele destacou que a discriminação contraria valores humanos e jurídicos estabelecidos pela República brasileira, o que justifica a proibição.

“Destaco que a venda de livros que veiculam ideias nazistas ferem gravemente a ordem pública, pois afronta a norma penal insculpida no artigo 20, parágrafo 2º, da Lei 77168/89. Dessa forma, estão demonstrados o fumus boni iuris e o periculum in mora. O primeiro, na própria demonstração da existência da obra que apregoa o nazismo; o segundo, considerando a urgência em evitar a disseminação do livro com ideias contrárias aos direitos humanos, que é fundamento e objetivo fundamental da República Federativa do Brasil”, afirmou Salomão Junior em sua decisão.

Mandados de busca e apreensão serão expedidos. Pela decisão, os diretores das livrarias serão nomeados depositários dos livros que forem apreendidos. A determinação vale apenas para as livrarias do Rio de Janeiro. Mas a Justiça fluminense encaminhará um ofício ao Judiciário de São Paulo pedindo que notifique a editora responsável pela obra para que não a distribua mais no Rio de Janeiro.

“Registre-se que a questão relevante a ser conhecida por este juízo é a proteção dos direitos humanos de pessoas que possam vir a ser vítimas do nazismo, bem como a memória daqueles que já foram vitimados. A obra em questão tem o condão de fomentar a lamentável prática que a história demonstrou ser responsável pela morte de milhões de pessoas inocentes, sobretudo, nos episódios ligados à Segunda Guerra Mundial e seus horrores oriundos do nazismo preconizado por Adolf Hitler”, escreveu.

PRECEDENTE

Na decisão, Salomão Junior destacou a decisão do Supremo Tribunal Federal de negar Habeas Corpus a uma pessoa condenada por publicar obra literária com conteúdo discriminatório. A pena foi fixada com base na Lei 7.716/89, que trata da punição para crimes de discriminação e preconceito.

“É importante destacar que o Supremo Tribunal Federal já se pronunciou sobre o tema, oportunidades em que se posicionou pela tutela das garantias das pessoas humanas em detrimento de atos discriminatórios e incentivadores de ódio e violência”, destacou o juiz.

 

 

Fonte: Consultor Jurídico, com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-RJ

10 dez by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Senadora Fátima Bezerra defende cadeia produtiva do livro da região Nordeste

FATIMAFRENTELIVRONORDESTE1

Durante lançamento da Frente Parlamentar Mista em defesa dos Autores, do Livro e da Indústria Gráfica da região do Nordeste, nesta quarta-feira (9), a senadora Fátima Bezerra (PT-RN), que foi escolhida vice-presidenta da Frente, destacou a importância de o Congresso debater e promover ações em defesa do livro e da leitura no país.  Fátima, que é presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Livro, da Leitura e da Biblioteca, elogiou a ação. “A região Nordeste tem uma diversidade cultural muito grande e conta com autores renomados. Iniciativas como essa são saudáveis, pois chama a atenção do restante do país para esses autores da Região e vem se associar ao trabalho já desenvolvido pela Frente do livro. ”, destacou.

Para a senadora, além da concorrência desigual com o mercado gráfico e editorial da região sudeste, que faz a região perder empregos, renda e ter um papel periférico nessa cadeia produtiva, o impacto cultural desse modelo traz consequências negativas no que diz respeito à exclusão intelectual, cultural e social do nordeste brasileiro na cadeia do livro, da leitura, e da literatura nacional. Ela lembrou que grandes nomes da literatura nordestina como Raquel de Queiroz, José de Alencar, Jorge Amado e José Lins do Rego só ganharam projeção nacional quando publicaram livros no Sudeste.

Fátima também pediu que o Governo Federal envie urgentemente o projeto de lei que institucionaliza o Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL). Atualmente, a proposta está em análise na Casa Civil. “O projeto é um marco regulatório do setor e, portanto, precisa vira lei. Estamos pedindo que o Governo Federal envie a proposta até este mês de dezembro para o Congresso, para que possamos analisa-lo e aprová-lo, em 2016”, ressaltou.

A senadora defendeu ainda a aprovação do projeto de lei 49/2015 (Preço Fixo do Livro), de sua autoria, que visa a incentivar o aumento do número de livrarias e de títulos oferecidos ao consumidor, além de fomentar a leitura no país e aumentar o número de títulos ao consumidor.

A Frente Parlamentar Mista em defesa dos Autores, do Livro e da Indústria Gráfica da região do Nordeste épresidida pelo deputado Odorico Monteiro e teve apoio de 220 deputados e de 14 senadores. Além da senadora Fátima Bezerra,  participaram do evento o deputado Rafael Motta, o secretário de cultura do Rio Grande do Norte, Crispiniano Neto, e a diretora da Editora Imeph, Lucinda Marques.

Fonte: Assessoria de Imprensa da senadora Fátima Bezerra

25 nov by João Ricardo Correia Tags:, , , , , ,

Biografia de Carlos Alexandre, o “Homem da Feiticeira”, vai ser lançada amanhã

CARLOS-ALEXANDRE-PAI
Carlos Alexandre fez sucesso no Brasil inteiro, vendeu mais 2 milhões de discos, conquistou quinze de ouro e um de platina

 

A biografia “O Homem da Feiticeira – A História de Carlos Alexandre”, do jornalista Rafael Duarte, será lançada nesta quinta-feira (26), a partir das 18h, no bar do Zé Reeira, Cidade Alta. Esse é o segundo lançamento oficial do livro que narra a trajetória do maior cantor popular do Rio Grande do Norte e uma das principais referências da música romântica no país entre 1978 e 1989. O primeiro evento aconteceu sábado passado, na Cidade da Esperança, bairro onde o Homem da Feiticeira iniciou sua carreira artística. Durante a noite de autógrafos, o cantor Carlos Alexandre Júnior faz show em homenagem ao pai.

A biografia é fruto de três anos de pesquisa do jornalista Rafael Duarte. O autor entrevistou 61 pessoas, além de mergulhar num farto material de arquivo e de consultar uma extensa bibliografia relacionada à Música Popular Brasileira. Em 378 páginas, a vida e a obra de Carlos Alexandre é contada a partir do nascimento, no povoado de Santa Fé, agreste do Rio Grande do Norte, até o acidente fatal que matou o cantor em janeiro de 1989.

FOTODIVULGASHOW1
                      Carlos Alexandre, o filho, se apresentará durante lançamento do livro

Em 11 anos de uma carreira meteórica, Carlos Alexandre conquistou 15 discos de ouro e um de platina. Foram mais de 2 milhões de discos vendidos em todo o país ancorados em sucessos como Feiticeira, Ciganinha, Arma de Vingança, Vá pra cadeia, Final de Semana, entre outras canções que ainda povoam o imaginário popular de fãs espalhados Brasil afora.

O livro traz depoimentos essenciais que ajudam o leitor a entender a importância do cantor potiguar para a música popular brasileira. Artistas como Agnaldo Timóteo, Bartô Galeno, Carlos André, Gilliard, Fernando Luís, Fernando Mendes, Lindomar Castilho, Paulo Márcio, Messias Paraguai, Nando Cordel, além do jornalista e historiador Paulo César de Araújo, falam do contato com a música de Carlos Alexandre e o que ela representou para a época.

Quem não puder comparecer aos lançamentos pode adquirir o livro pela internet, através do site www.ohomemdafeiticeira.com.br, pela fanpage do livro no facebook (O Homem da Feiticeira) ou nos seguintes pontos de venda: Cooperativa Cultura do Campus da UFRN, Livraria Nobel (Av. Hermes da Fonseca, Lagoa Seca), Sebo Vermelho (Avenida Rio Branco, Cidade Alta), Bar da Sol (Cidade Nova) e no sebo O Zahir, na praça Central de Parnamirim.

Sobre o autor

Rafael Duarte é jornalista, brasiliense, radicado em Natal desde 1998. Formado em Comunicação Social pela UFRN, trabalhou como repórter no Diário de Natal, Tribuna do Norte e Novo Jornal. O “Homem da Feiticeira – a história de Carlos Alexandre” é seu primeiro livro.

 

 

Fonte: Rafael Duarte

13 ago by João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Gutenberg Costa lança livro sobre presença da mulher na literatura de cordel

GUTENBERGCOSTA1

O pesquisador e folclorista Gutenberg Costa (FOTO) estudou durante uma década o tema da presença feminina na literatura de cordel potiguar. O resultado desse trabalho está no livro pioneiro “A Presença Feminina na Literatura de Cordel do Rio Grande do Norte- a mulher na memória do folheto potiguar”, obra que foi agraciada com o prêmio municipal do Edital Literatura de Cordel 2014, pela Fundação Cultural Capitania das Artes (Funcarte), Secretaria Municipal de Cultura.

Fascinado pela cultura popular, Gutenberg coleciona folhetos de cordel desde a adolescência, já tendo publicado outros livros sobre esse gênero. O mais recente trabalho, sobre a presença das mulheres no Cordel do RN- aborda várias temáticas da figura feminina nessa literatura, tais como a presença da mulher nos folhetos, no repente e viola, a discriminação em vários ângulos da cultura popular, a violência contra a mulher, as temáticas de destaque, autores e títulos, e ainda um capítulo com a vida e obra de mais de 50 mulheres cordelistas do RN.

Embora hoje a presença feminina seja relativamente expressiva na literatura de cordel, no passado não foi bem assim. Gutenberg destaca o machismo, muitas vezes presente na cultura popular: “A literatura de cordel foi, durante muito tempo, uma produção marcadamente masculina. Muitas dessas mulheres utilizaram pseudônimos masculinos para escaparem da censura e discriminação da época.” Gutenberg cita o caso da poetisa Josenira Fraga, que se identificava como “Zé do Povo”, principalmente na autoria dos folhetos políticos.

O livro oferece uma ótima bibliografia sobre o Cordel feminino. Além de não descuidar do passado, conta o que há de novidade no cordel de circunstância: os crimes e os assuntos em pauta na atualidade. Da capa à contracapa dos folhetos, forma e conteúdo, autores e personagens estão preservados do esquecimento.

O AUTOR

Gutenberg é pedagogo e bacharel em direito. Publicou mais de vinte livros. Alguns títulos: “Profetas do Nordeste” (1994), “A Presença de Câmara Cascudo na Literatura de Cordel” (1998), “Natal: Personagens Populares” (1999), “Dicionário Papa-jerimum de Apelidos” (2001), “Dicionário de Cordelistas do RN” (2004).

OBRA

“A Presença Feminina na Literatura de Cordel do Rio Grande do Norte- a mulher na memória do folheto potiguar” – Apresentação da jornalista e escritora Rejane Cardoso. Comentário de orelhas, a educadora Elaynne Costa (filha do autor). 190 páginas. Projeto Gráfico: Marcelo Sena. Co-edição: Editora 8/ Editora Queima-Bucha.

LANÇAMENTO

Data: 20 de Agosto de 2015. (mês do Folclore)
Local: Museu de Cultura Popular Djalma Maranhão (na antiga Rodoviária da Ribeira)
Horário: a partir das 17h.
Tiragem: 1.000 exemplares.
Na ocasião, um coquetel regional será oferecido.

Fonte: Adriana Brasil – adriana.brasilsilva@gmail.com

12 ago by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Jornalista Rubens Lemos Filho lança livro de crônicas sobre o ABC

RUBENSLEMOSFILHO1
Rubens Lemos Filho: “Faço uma espécie de testemunho da convivência de um torcedor com o ABC. É o resgate de um tempo. Aí estão presentes os ídolos que foram meus ídolos, as grandes vitórias, as derrotas que chorei na arquibancada, os episódios que considero importante na história do clube, que eu vivi, e também os episódios que foram narrados pelo meu pai”

O jornalista Rubens Lemos Filho lançará, no próximo dia 20, o livro “O Rosto Alegre da Cidade”, o qual reúne 67 crônicas e extenso material fotográfico sobre momentos importantes da história do ABC. O lançamento acontecerá na sede do Clube dos Radioamadores do RN, a partir das 19h.

O livro, lançado através da editora Flor do Sal, traz um passeio pela memória afetiva de Rubens Lemos Filho, cuja história se confunde com parte da história do Mais Querido. Abecedista por influência do pai, o saudoso jornalista e comentarista Rubens Lemos, Rubinho acompanha o Alvinegro desde os sete anos de idade. Foi testemunha dos grandes jogos e das grandes equipes de um futebol que, em grande parte, não existe mais. “O Rosto Alegre da Cidade” é a expressão desse sentimento.

“Faço uma espécie de testemunho da convivência de um torcedor com o ABC. É o resgate de um tempo. Aí estão presentes os ídolos que foram meus ídolos, as grandes vitórias, as derrotas que chorei na arquibancada, os episódios que considero importante na história do clube, que eu vivi, e também os episódios que foram narrados pelo meu pai”, explica.

As crônicas rememoram as grandes equipes montadas pelo ABC, como o time de 1983, que tinha jogadores como Marinho Apolônio, Silva e Dedé de Dora. Naquele ano, o Alvinegro fez 114 gols no Estadual, com a dupla de ataque formada por Marinho e Silva marcando 63 gols. “Lembro dos craques desse tempo, os locutores esportivos desse tempo. E há um momento, para mim foi o mais bonito, que foi o time de 1983, o time de 114 gols. Quem imagina hoje um time fazer 114 gols num campeonato? E a dupla de atacantes fazer 63? Isso não existe mais no futebol”.

OROSTOALEGREDACIDADE

Personagens dos bastidores do ABC também fazem parte da lista de homenageados por Rubens Lemos Filho. Homens como José Prudêncio Sobrinho e Ernani Alves da Silveira. “Eu relembro, por exemplo, José Prudêncio Sobrinho, que hoje está esquecido. Ele foi o diretor que exauriu o seu patrimônio para se doar ao ABC. Prudêncio foi goleiro, técnico, dirigente, supervisor, foi tudo no ABC”, diz. E complementa: “Cito também Ernani Alves da Silveira, que foi o eterno presidente do Conselho Deliberativo do ABC. Um homem que conseguia abrandar as crises só com a sua presença, a sua moral, com o carisma que tinha. Não existem mais homens assim”.

A história do ABC Futebol Clube foi marcada nos estádios que abrigaram o seu futebol e por isso o Juvenal Lamartine e o Machadão, demolido no ano de 2011, estão presentes em “O Rosto Alegre da Cidade”. “Trata-se de uma homenagem também ao Juvenal Lamartine e principalmente o meu desagravo ao Castelão, ao Machadão, do qual sou viúvo. Os dois estão aí em imagens e jogos memoráveis”, aponta.

O que emerge das 67 crônicas é a memória acerca do futebol alegre e popular do ABC. “Quero mostrar para a próxima geração, para o meu filho e para os filhos do meu filho que houve um ABC vitorioso, grandioso, altivo e especialmente um ABC popular. Era um clube alegre, que reunia a massa da cidade, os mais simples, em torno do futebol. Um futebol bonito e bem jogado”, finaliza.

SERVIÇO

“O Rosto Alegre da Cidade”
Local: Sede do Clube dos Radioamadores do RN (Avenida Rodrigues Alves, 1004 / Tirol)
Data: 20 de agosto
Hora:  das 19h às 22h
Valor do livro: R$ 50

 

Fonte: jornalista Isaac Lira

Fale no ZAP