Tag: Procon

30 jul by João Ricardo Correia Tags:, , ,

PROCON Natal divulga ranking dos postos que vendem combustíveis mais baratos

O PROCON Natal – Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Natal – realizou, no dia 17 de julho, mais uma pesquisa para confirmar a redução nos preços de combustíveis. Foi constatada variação negativa e uma redução de (-0,90%) em relação à pesquisa anterior na primeira semana do mês. A pesquisa foi em 66 postos de combustíveis nas quatro regiões administrativas da cidade. Apesar da paralisação de setores de transportes no primeiro semestre e da negociação do Governo Federal estabilizando o valor do diesel, os preços dos combustíveis em Natal apresentam variação negativa, mesmo que a Petrobras não tenha anunciado oficialmente qualquer mudança na sua política de equiparação do o barril de petróleo com a moeda internacional.

A pesquisa completa com o ranking dos postos que vendem o combustível mais barato está no site www.natal.rn.gov.br/procon. Em virtude da identificação de preços promocionais nos diversos postos da cidade e sem nenhuma posição da Petrobras e dos órgãos que regulamentam os valores dos combustíveis sobre redução nos preços, o Núcleo de Pesquisa do PROCON NATAL concluiu que se trata de uma promoção passageira que os donos de postos estão praticando. O PROCON Natal orienta que os consumidores fiquem atentos aos preços, que estes verificam em sua rotina pesquisando sempre os melhores valores e o custo-benefício na hora de abastecer.

Confira abaixo os 10 postos de Natal com Gasolina Comum, Etanol e Diesel mais em conta: 

 

GASOLINA COMUM

Estabelecimento / Distr. Endereço Preço da Gasolina Comum / Litro
Nosso Posto (Branca) Av. Rio Grande do Sul, 149, Cidade da Esperança R$ 4,229
Posto Planalto (Setta) Av. Tomáz Landim, 3540, Igapó R$ 4,240
Posto Pinheiro (BR) Av. Ayrton Senna, 1652, Neópolis R$ 4,240
Posto São Luiz IV (Shell) Av Bernardo Vieira 2517, Alecrim R$ 4,260
Posto Estrela (Shell) Rua Felizardo Moura, 114, Bairro Nordeste R$ 4,249
Posto Campo Belo (Branca) Rua Felizardo Moura, 848, Bairro Nordeste R$ 4,249
Posto Estrela (Branca) Rua Mário Negócio, 2202, Quintas R$ 4,249
Posto Cirne (BR) Av Prudente de Morais, 1089, Tirol R$ 4,260
Posto Cirne (Cirne) Av Hermes da Fonseca 857, Tirol R$ 4,260
Posto Natal II (BR) Av Hermes da Fonseca 755, Tirol R$ 4,260

 

ETANOL

Estabelecimento / Distr. Endereço Preço do Etanol / Litro
Nosso Posto (Branca) Av. Rio Grande do Sul, 149, Cidade da Esperança R$ 3,459
Posto Dunas (Branca) Av. Tomáz Landim, 3540, Igapó R$ 3,459
Posto São Luiz IV (Shell) Av Bernardo Vieira 2517, Alecrim R$ 3,490
Posto Pajuçara (Branca) Rua Moema Tinoco, s/ nº R$ 3,490
Posto Planalto (Setta) Av. Tomáz Landim, 3540, Igapó R$ 3,490
Posto Campo Belo (Branca) Rua Felizardo Moura, 848, Bairro Nordeste R$ 3,499
Posto Estrela (Branca) Rua Mário Negócio, 2202, Quintas R$ 3,499
Posto Felipe Camarão (30 de setembro) Rua Ranieri Mazzilli, 4350, Felipe Camarão R$ 3,499
Posto Jota Flor II (Branca) Av Coronel Estevam, 2048, Alecrim R$ 3,499
Posto Estrela (Branca) Rua Mário Negócio, 2202, Quintas R$ 3,499

 

DIESEL

Estabelecimento / Distr. Endereço Preço do Diesel / Litro
Nosso Posto (Branca) Av. Rio Grande do Sul, 149, Cidade da Esperança R$ 3,289
Posto Dunas (Branca) Av. Tomáz Landim, 3540, Igapó R$ 3,289
Posto Planalto (Setta) Av. Tomáz Landim, 3540, Igapó R$ 3,290
Cais Auto Posto (BR) Rua Henrique Castriciano, 300, Ribeira R$ 3,299
Posto Estrela (Shell) Rua Felizardo Moura, 114, Bairro Nordeste R$ 3,299
Posto Campo Belo (Branca) Rua Felizardo Moura, 848, Bairro Nordeste R$ 3,299
Posto Estrela (Branca) Rua Mário Negócio, 2202, Quintas R$ 3,299
Posto Vale Dourado (Branca) Av. das Fronteiras s/ nº – Santarém R$ 3,299
Posto Tamarineira (BR) Rua Apodi, 349, Cidade Alta R$ 3,310
Posto Nova Natal (30 de Setembro) Rua Bela Vista, 1001, Lagoa Nova R$ 3,330

Fonte: SECOM Natal

25 jan by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Pesquisa revela variação de 296% em preços de material escolar

MATERIALESCOLAR1

O Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Natal) realizou entre os dias 08 e 12 de janeiro uma pesquisa de preços de material escolar em 11 estabelecimentos da capital potiguar a fim de alertar o consumidor na hora de fazer as compras de volta às aulas.

Entre os 36 itens pesquisados estavam: apontador, cola, caneta, giz de cera, lápis de cor, corretivo, papéis e cartolinas, materiais básicos e indispensáveis para qualquer estudante. E o resultado revelou que a pesquisa é a melhor amiga do consumidor.

O Procon Natal encontrou variações de até 296% entre produtos da mesma marca, e diferença de até 568% entre marcas concorrentes, valores que assustam o consumidor, em um momento em que todos sofrem com a crise econômica.

Para o diretor-geral do Procon Natal, Kleber Fernandes, a pesquisa serve de alerta para que vai às compras de material escolar. “É muito comum encontrarmos diferenças discrepantes entre estabelecimentos comerciais. Por isso é importante que o consumidor tire um tempo para pesquisar e encontrar o melhor preço”, aconselha Fernandes.

É importante ressaltar que a lei municipal 6.044 de 2010 prevê a possibilidade da entrega fracionada do material escolar, desobrigando os pais a adquirirem todo o material logo no início do ano letivo. As listas devem vir acompanhadas de um plano de atividades pedagógicas, indicando as justificativas acerca da quantidade, destinação e período em que o material será utilizado.

Para quem não tem tempo de sair pelas lojas pesquisando, é só entrar no site do Procon Municipal e conferir a pesquisa de preços:http://www.natal.rn.gov.br/procon/paginas/ctd-1031.html. Lá você encontra todas as pesquisas de preços realizadas pelo Procon Natal.

 
Fonte: Graphos Comunicação

22 dez by João Ricardo Correia Tags:, , , , , ,

Procon Natal: preço do panetone de chocolate varia em até 240%

PANETONE1

O Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Natal) realizou entre os dias 07 e 11 de dezembro uma pesquisa nos dez principais supermercados da capital potiguar para avaliar os preços dos produtos mais consumidos na ceia natalina.

A pesquisa levou em consideração produtos como aves, panetones, vinhos, espumantes, azeites, queijos e frutas em calda, secas e castanhas. E o resultado mostrou variações até mesmo entre estabelecimentos da mesma rede, além da falta de produtos em muitos deles.

Um exemplo de grande variação foi o panetone de chocolate, que mostrou uma diferença de 240% entre o menor e maior valor, de uma mesma marca. Já nas carnes, o bacalhau foi o item que mais variou, mostrando uma diferença de 95% no valor praticado pelos supermercados.

Para ver a pesquisa completa acesse: www.natal.rn.gov.br/procon

 

Fonte: Graphos Comunicação

8 out by João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Juros bancários são os maiores em 20 anos, informa pesquisa do Procon

JUROS

Os juros do cheque especial chegaram a 12,28% no mês em outubro – a maior marca desde setembro de 1995 – quando a taxa era 12,58%, informa pesquisa da Fundação Procon-SP.

Das sete instituições financeiras que fazem parte da pesquisa, cinco elevaram a taxa do cheque especial e uma a do empréstimo pessoal. A taxa média do cheque especial chegou a 12,28% ao mês, superior à do mês anterior, equivalente a 11,90%, acréscimo de 0,38 ponto percentual.

A maior alta verificada ocorreu na Caixa Econômica Federal, que alterou a taxa de 10,35% para 11,38% ao mês, variação de 9,95% em relação à taxa de setembro. O Santander registrou variação positiva de 4,21% em relação ao mês anterior, o Banco do Brasil teve variação de 3,69%, o Itaú, variação de 2,58%, e o Bradesco, variação de 2,41%. Os demais bancos mantiveram suas taxas.

No empréstimo pessoal, a taxa média dos bancos pesquisados foi 6,27% ao mês, superior à do mês anterior, que foi 6,26%. Nesta linha de crédito, o Bradesco elevou a taxa de 6,57% para 6,61% ao mês, variação positiva de 0,61% em relação à taxa de setembro. Os demais bancos mantiveram suas taxas.

 

 

Fonte: Agência Brasil

2 set by Henrique Goes Tags:, , ,

Procon municipal passa a atender em novo endereço a partir desta quarta-feira

A partir desta quarta-feira (4), os consumidores que precisarem dos serviços de Proteção de Defesa do Consumidor, deverão se dirigir até a Rua Seridó, número 355. O local fica no Centro da cidade, próximo à Universidade Potiguar, unidade da Floriano Peixoto.

consumidor11
Imagem de internet

Segundo o diretor geral, Kleber Fernandes, o novo local continuará com todos os serviços prestados ao público com uma melhor estrutura física e maiores condições de atendimento.
O atendimento na nova sede do órgão será realizado das 8h às 17h. Os consumidores também podem entrar em contato com o Procon pelos números 3232-9050 e 3232-9052.

 

Fonte: Assecom PMN

22 jul by Henrique Goes Tags:, , , ,

Reclamações nos Procons contra empresas de telecomunicações cresceu 55% no primeiro semestre deste ano; ineditamente, telefonia fixa lidera queixas

Sabe aquela máxima “o que é ruim sempre pode ficar pior”? Pois bem, parece que as gigantes das telecomunicações que atuam no país estão levando o ditado à risca.  É isso que nos garante o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), que aponta um aumento de 55% nas reclamações de consumidores junto aos Procons do país – quando o assunto é telefonia fixa e móvel – no primeiro semestre de 2013 em comparação ao mesmo período do ano passado.

Os dados obtidos com exclusividade pelo Broadcast – serviço de notícias em tempo real da Agência Estado – junto ao DPDC, da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça, mostram que foram registradas 277,8 mil notificações no Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec) relativas a telecomunicações.

 

Central-Telefonica-Manual
Imagem de internet

Tal quantitativo representou 24,39% do total dos mais de 1,1 milhão de registros recebidos. Já no  mesmo período do ano passado, foram notificadas 179 mil demandas de telecomunicações – 20,7% das mais de 861,2 mil atendidas pelo órgão. O Sindec é o órgão que consolida informações de 25 Procons estaduais e 211 municipais. São 446 unidades espalhadas por 293 cidades, que atendem em média 174 mil consumidores por mês.

 

Telefonia fixa lidera reclamações

Apesar de muitas famílias já terem abandonado o telefone fixo e adotado os celulares por uma questão de economia no orçamento mensal (?), o estudo aponta que a novidade no período foi a liderança da telefonia fixa. No primeiro semestre, o número de atendimentos alcançou 102,2 mil, o que representa uma alta de 90,1% sobre o mesmo período do ano passado. Assim, esses serviços tiveram 8,98% das demandas entre todos os setores atendidas. No entanto,  a telefonia móvel permanece entre os maiores alvos de reclamações nos Procons. Foram 100,3 mil registros no primeiro semestre, uma alta de 27,6% sobre o ano passado.

telefonefixo
Imagem de internet

Entre as principais queixas contra operadoras estão problemas com a cobrança do serviço (149 mil demandas), falhas no contrato (34,7 mil), atendimento de SAC (24,6 mil), serviço não fornecido ou não concluído (21,9 mil) e serviços mal executado, inadequado ou impróprio (9,3 mil).

O representante das teles e diretor executivo do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil), Eduardo Levy, justifica que as empresas são os maiores alvos das reclamações dos consumidores porque têm uma elevada base de clientes.

Os demais serviços de telecomunicações também apresentaram alta nas reclamações. Quando o assunto é TV por assinatura, foram 48,1 mil demandas, um aumento de 61%. Os serviços de internet somaram 27,1 mil (avanço de 62,3%). Dessa forma, os serviços de TV paga representaram 4,2% das demandas gerais encaminhadas ao Sindec, e as de internet, 2,3%.

 

Com informações da Exame

13 jan by Henrique Goes Tags:, , , ,

PROCON ESTÁ DE OLHO EM LISTAS DE MATERIAL ESCOLAR ABUSIVAS

O mês de janeiro costuma ser de grandes sustos para que tem filhos em idade escolar, especialmente, nos primeiros anos do ensino fundamental; etapa da educação básica em que as listas de material são extensas e, por vezes, abusivas.

53474_material-escolar-31-1-11
Procon alerta pais para abusos em listas de material escolar
Foto: Internet

Se a relação dada pela escola do seu filho recomenda a compra de produtos como itens de escritório,  limpeza, higiene e medicamentos, questione. Se a instituição de ensino ainda indicar local exclusivo para compra, ou estabelecer a marca dos produtos pedidos, rebata. De acordo com o Código de Defesa do Consumidor e a Lei de Diretrizes Básicas da Educação tais práticas estão vedadas.

Apesar de existir uma legislação para disciplinar a relação entre pais/alunos e escolas, algumas dúvidas e abusos permanecem rondando os dois lados. A consultora do Procon, Maria Rachel Coelho, responsável pela área de Educação para o Consumo, esclarece que o material como tinta de impressora, copo descartável e sabonete,é de responsabilidade do estabelecimento e o valor de tais itens está incluso na mensalidade.

No entanto, quando se trata de material de uso coletivo – apesar de não haver algum dispositivo legal que obrigue os pais de fornecê-los -, é preciso que o responsável pelo aluno analise bem o contrato assinado com a escola, pois nele pode haver alguma cláusula inserindo a entrega dos artigos de uso comum.

No tocante ao fardamento escolar, o Procon se posiciona contrariamente à prática de se vender a roupa em local único por ferir o princípio da livre concorrência.

Em caso de dúvidas e/ou denúncias, basta procurar o Procon RN, localizado no Palácio da Cidadania, na Av. Tavares de Lira, 109, Ribeira. Ou, ainda, enviar e-mail para o procon@rn.gov.br.

Com informações da Agência Brasil

Fale no ZAP