17 set by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Bolsonaro lidera e Haddad está em segundo na pesquisa CNT/MDA

Jair Bolsonaro continua se recuperando da facada que levou em Minas Gerais

A 138ª Pesquisa CNT/MDA, divulgada pela CNT (Confederação Nacional do Transporte) nesta segunda-feira (17), aborda as eleições de 2018. O levantamento traz as preferências dos entrevistados em cenários de primeiro e segundo turnos e o limite de voto nos candidatos. Além disso, trata sobre o grau de interesse nas eleições e o acompanhamento das campanhas eleitorais.

Traz, ainda, a avaliação pessoal e do governo do presidente Michel Temer e a expectativa dos brasileiros para os próximos seis meses sobre temas, como economia, saúde, segurança e educação.

A pesquisa foi realizada entre os dias 12 e 15 de setembro de 2018. Foram ouvidas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 Unidades Federativas, das cinco regiões do país. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança. A pesquisa está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), sob o número BR-04362/2018.

13 set by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Flávio Bolsonaro diz que o quadro de saúde do pai é “muito grave”

O deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) disse hoje (13) que o quadro de saúde de seu pai, o candidato à Presidência da República pelo PSL Jair Bolsonaro, ainda é “muito grave”, embora estável.

Segundo ele, a maior preocupação é com o risco de infecções, já que a cirurgia realizada na noite de ontem foi “bastante invasiva”.

Flávio Bolsonaro concedeu entrevista à rádio 97,1 FM do Rio de Janeiro e falou por quase duas horas. “Está difícil para a gente da família fazer campanha porque a cada momento há um fato novo”, disse. “Por causa de um atentado contra o meu pai, a gente tem de se readaptar.”

23 ago by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

STF marca para próxima semana análise de denúncia contra Bolsonaro

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), adiantou em uma semana o julgamento de uma denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o deputado Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência da República.

A análise do caso na 1ª Turma do STF foi adiantada de 4 de setembro para 28 de agosto, quatro dias antes do início do horário eleitoral de rádio e televisão. O adiantamento foi feito a pedido da defesa do parlamentar, que abriu mão de um prazo de cinco dias de aviso prévio antes do julgamento, de modo a acelerar a análise da denúncia.

Na denúncia, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, acusou Bolsonaro de praticar racismo e fazer manifestações discriminatórias contra quilombolas, indígenas e refugiados, devido a um discurso proferido por ele em abril do ano passado, durante uma palestra no Clube Hebraica, no Rio de Janeiro.

21 jul by João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

General Girão seguiria a ex-chefe Rosalba ou o capitão Bolsonaro?

O PSL, que tem como pré-candidato a presidente do Brasil o deputado federal Jair Bolsonaro, está com dificuldades de encontrar o vice para ele. A advogada Janaína Pascoal pode ser uma opção, o que faria uma chapa sangue puro. No Rio Grande do Norte, até agora, o partido tem divulgado que não apoiará nenhum candidato ao Governo do Estado. E se houver segundo turno, a posição será a mesma ou, de repente, por alguns motivos, o PSL se “curvaria”?

General Girão, quando tomou posse no Governo de Rosalba (Foto: Wellington Rocha)

O único pré-candidato a deputado federal pelo PSL, até agora, no RN é o general da reserva do Exército Eliéser Girão Monteiro Filho, que foi secretário da Segurança Pública e da Defesa Social do Estado, quando Rosalba Ciarlini era governadora. E também foi seu secretário em Mossoró, agora com Rosalba como prefeita, mas deixou o cargo para tentar uma vaguinha em Brasília.

Se Rosalba pedisse, será que Girão não apoiaria Carlos Eduardo Alves e Kadu, filho de sua ex-chefe, num eventual segundo turno? O que diria Bolsonaro sobre isso, já que fala tanto em nova política? O capitão Bolsonaro influenciaria mais na decisão de Girão?

27 abr by João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

PSL instala Comissão Provisória em Parnamirim e reafirma Araken como pré-candidato a governador

RONCARAK_JOAORICARDOCORREIA
Roberto Ronconi e Araken Farias: pré-candidatos pelo PSL

O presidente do Partido Social Liberal (PSL) no Rio Grande do Norte, Araken Farias, nomeou na manhã deste domingo, 27, a Comissão Provisória da legenda no município de Parnamirim e reafirmou sua condição de pré-candidato a governador do Estado, nas eleições de outubro próximo.

O evento aconteceu no Plenário Dr. Mário Medeiros, na Câmara Municipal, contando com participações de populares e lideranças políticas.

O nome de Roberto Ronconi foi confirmado como pré-candidato ao Senado.

Joseilson Alves assume o PSL em Parnamirim

O advogado Araken Farias ressaltou a importância da renovação na política potiguar e lembrou que o Rio Grande do Norte vem, há décadas, sendo controlado politicamente pelos mesmos grupos ou pessoas indicadas por eles: “Nosso povo é um povo livre e está cansado dos mesmos nomes, das mesmas promessas, das mesmas pessoas que sobrevivem da política e em sua maioria só aparece para pedir votos. Nosso partido tem nomes novos, pessoas interessadas em promover as mudanças que desejamos e nosso Estado necessita. Se houve um acordo entre outros candidatos que já se acham vitoriosos, esse acordo foi feito entre eles, não com o povo”.

O presidente da Comissão Provisória do PSL em Parnamirim, Joseilson Alves, reforçou: “Queremos mudanças no Estado, precisamos das reformas e o nosso partido pode contar com o esforço de todos nós para conquistar os espaços e garantir essas mudanças”.

8 abr by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Araken confirma pré-candidatura a governador e condena perpetuação de políticos no poder

O presidente estadual do PSL, advogado Araken Farias (FOTO), reafirma a condição de pré-candidato a governador do Rio Grande do Norte e analisa que o momento é de descontentamento e total descrédito com os políticos atuais. “O povo não acredita mais nas falsas promessas, que só aparecem durante o período de campanha e, como num passe de mágica, desaparecem no dia seguinte às eleições. O que esperar de nossa democracia e de nosso sistema político? Os políticos de hoje, em sua expressiva maioria, precisam do Estado para sobreviver, não para realizar”, disse.

Pós-graduado em Direito Processual Civil e ex-coordenador Geral do Procon-RN, quando ganhou visibilidade na imprensa pelo trabalho que fez na defesa dos direitos dos consumidores, Araken acredita, ainda que, “acabou-se o ideal partidário, onde o conflito programático era a síntese da mudança e da possibilidade de novos tempos. Aqui, no Rio Grande do Norte, partido serve exclusivamente para alguém se eleger. Nada mais que isso. A festa da democracia é linda, cívica e emocionante. Mas precisamos de um pouco mais do que eleições. Precisamos mudar a nossa história, evitando a perpetuação de algumas poucas famílias no poder, com filhos se elegendo e nada mudando. Precisamos manter a esperança e não permitir que a nossa liberdade seja afrontada, pelos crimes sem punição. A impotência vem tomando conta da esperança”.

O pré-candidato a governador do RN pelo PSL enfatiza que a sociedade espera grandes mudanças, “pois não podemos mais continuar com a geração de políticos que é a mesma há mais de 40 anos, de filhos que subsistem aos pais, numa verdadeira dança das cadeiras. Hoje, se não for filho de alguém, suas chances eleitorais são bem mais difíceis. Temos que evoluir e esta evolução tem que partir do eleitor, mudando a classe política de nosso Estado, elegendo novos nomes, que se comprometam com a coletividade e não com os interesses pessoais”.

Araken Farias não acredita em pacto pela governabilidade no Rio Grande do Norte, segundo ele, vindo “dos que governaram este Estado nos últimos 50 anos. Na medida em que um Estado é constituído por políticos egoístas, voltados exclusivamente para satisfazer suas ambições pessoais, não podemos falar em governabilidade e, dificilmente, haverá um bom governo. Só é possível falar em pacto de governabilidade se comparar a atual situação com a ideal. Se pensarmos em reforma política, garantindo que os governantes governem no interesse dos governados; se continuarmos a governar no interesse próprio ou de grupos de interesses específicos, o bom governo jamais existirá”.

Fale no ZAP