Tag: teatro

27 ago by João Ricardo Correia Tags:, , , , , ,

Brasil sobrevive a um teatro de horrores e hipocrisia por todos os lados

DILMA_E_TEMER

João Ricardo Correia

O Brasil assiste a um teatro de horrores. As sessões, desde àquela patética onde se votou por Deus, pela mulher, pelo cachorro, na Câmara dos Deputados, até as mais recentes, na reta final do julgamento da presidente afastada Dilma Rousseff, são palcos de encenações lamentáveis. Pura hipocrisia, de todos os lados.

Máscaras caíram, santinhos e santinhas se desnudaram e se mostraram os diabos que são. Não há mais direita, esquerda ou centro. Há um bando lutando por seus interesses, e só. Uns não querem largar o osso; outros babam por ele. E outros, os nanicos também sem vergonha, abanam os rabos e se oferecem para qualquer negócio.

22 mar by João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Cine Teatro de Parnamirim será palco da 1ª edição do Tanz Festival de Dança

CINETEATROPARNAMIRIM1

A 1ª edição do Tanz Festival de Dança será realizada no Cine Teatro Municipal de Parnamirim/RN, localizado a 10 Km de Natal. O equipamento, inaugurado em setembro de 2014, possui a estrutura ideal para a realização do festival.

O teatro tem capacidade para 600 lugares, quatro auditórios, espaço para galeria e salas para oficinas. O Cine Teatro apresenta uma caixa cênica com 22 metros de altura.

Distribuída em 4,4 mil metros quadrados, a estrutura do equipamento dispõe no andar térreo de hall de entrada, salas da administração, balé e ensaio, quatro camarins, palco, seis miniauditórios, sala multiuso. No primeiro andar estão a sala de exposições com 184 metros quadrados, mirante, recepção, mezanino, sala de reuniões, tesouraria e salas para ensaio de dança e de coral.

O festival acontecerá de 21 a 24 de abril e trará profissionais de referência nacional para promover um intercâmbio entre professores, coreógrafos, alunos, figurinistas e diretores de escolas proporcionando uma aproximação que permitirá aos participantes a capacitação e a busca de um padrão de qualidade que estimulem o desenvolvimento, o crescimento da dança e seu aperfeiçoamento técnico.

CINETEATROPARNAMIRIM2
O espetáculo de abertura será realizado no dia 21, às 20h, com apresentações de Claudia Mota (1ª Bailarina do Theatro Municipal RJ) e Edfranc Alves (Solista do Theatro Municipal RJ); da Companhia Brasileira de Ballet RJ; da bailarina potiguar Anadria Rassyne; e dos Bboys Tijolim King, Fabio e Kid Toby, resentando Danças Urbanas.

O 1º Tanz Festival de Dança contará com cursos de Ballet Clássico Intermediário/Avançado, Ballet Clássico para professores, Dança Contemporânea e Danças Urbanas.

CINETEATROPARNAMIRIM3
O Festival é uma realização da Tanz Produções, está enquadrado na Lei Rouanet de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura, com patrocínio da Miranda Computação. O evento tem a apoio da Prefeitura de Parnamirim, Devant, Hotel Parque do Sol, Padaria Gosto de Pão, Água Mineral Santa Maria.

Fonte: jornalista Tiana Costa 

20 jan by João Ricardo Correia Tags:, , , , ,

Governo do RN ainda não tem data para reabrir Teatro Alberto Maranhão

TEATROCHICODANIEL1

Uma reunião realizada na Governadoria, na tarde de ontem (19), debateu as pendências e as medidas a serem tomadas para a reabertura do Teatro Alberto Maranhão, do Teatro de Cultura Popular Chico Daniel (TCP), em Natal, Teatro Lauro Monte Filho (Mossoró) e  do Teatro Adjuto Dias (Caicó).

O encontro convocado pelo Gabinete Civil  teve a presença  do diretor da Fundação José Augusto (FJA), Crispiniano Neto e auxiliares; da secretária-chefe do Gabinete Civil, Tatiana Mendes Cunha, além de representantes do Iphan, Corpo de Bombeiros, RN Sustentável e da CL Engenharia e Urbanismo, empresa responsável pelo projeto para reforma do Teatro Alberto Maranhão.

TCP
A direção da FJA informou que o Teatro de Cultura Popular Chico Daniel (FOTO) será reaberto logo após o período carnavalesco, seguindo todas as adequações determinadas pela Defesa Civil. A data de reabertura será divulgada.

TAM
Ficou definido durante a reunião que o projeto de reforma do Teatro Alberto Maranhão, executado pela empresa pernambucana CL Engenharia e Urbanismo, será encaminhado na próxima sexta-feira (22) ao Corpo de Bombeiros e posteriormente ao Iphan.  Após a apreciação do órgão federal, o Governo do Estado abrirá uma licitação para as obras com recursos do Programa RN Sustentável.

Lauro Monte Filho
A reabertura do Teatro Lauro Monte Filho, em Mossoró, está próxima com a conclusão do acordo entre o Governo do Estado a empresa que iniciou as obras na administração anterior. Com a assinatura do distrato, a nova licitação será aberta  contando também recursos do RN Sustentável.

Teatro Adjuto Dias
A reativação do Teatro Adjuto Dias, em Caicó, será implementada com a transferência do termo de titularidade do terreno onde está o equipamento para o Governo do Estado. A área pertence a União e o processo está tramitando na Secretaria de Patrimônio da União (SPU).

Determinação
“Todos os setores do Governo do Estado estão empenhados no processo de reaberturas destas casas teatrais e estamos fazendo o nosso planejamento, seguindo a determinação do governador Robinson Faria”, destacou o diretor da FJA, Crispiniano Neto.

Para Tatiana Mendes Cunha, a partir desse encontro as ações serão agilizadas. “Ao reunir todos os envolvidos nos processos de restauro e verificar as pendências, a expectativa é que possamos conferir agilidade aos projetos que já estão em andamento e entregar à população o mais brevemente os teatros públicos. Os recursos estão assegurados e o Gabinete Civil se dispõe a coordenar as ações que envolvam os órgãos responsáveis.

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação da FJA, com informações
da Assessoria de Imprensa do Gabinete Civil

10 jul by João Ricardo Correia Tags:, , ,

Espetáculo Memórias de Quintal segue em cartaz até domingo (12)

MEMORIASDEQUINTAL1_PAULOFUGA

A Bololô Cia Cênica apresenta a última semana da temporada de estreia do espetáculo “Memórias de Quintal”, de 09 a 12 de julho (quinta à domingo), sempre às 19h30, na A Boca Espaço de Teatros. O espetáculo tem direção de Alex Cordeiro e Rodrigo Silbat, e a montagem e temporada contam com patrocínio do FIC 2014 – Fundo de Incentivo à Cultura, da Prefeitura Municipal de Natal/FUNCARTE.

Os ingressos antecipados podem ser adquiridos pelo preço único de R$10 na A Boca Espaço de Teatros. Reservas e informações através do número (84) 99921-0979. A classificação indicativa do espetáculo é de 16 anos.

SOBRE O MEMÓRIAS DE QUINTAL

Inspirados nas memórias de suas infâncias, os atores Alex Cordeiro, Lulu Albuquerque e Paulinha Medeiros convidam o público a comemorar e refletir acerca de suas próprias experiências de vida, colocando o tempo em jogo no espetáculo. A partir da subversão de fatos e uma mistura de imaginação simbólica e autobiografia, a encenação tem sabor de saudade e é enviesada por cenas que revelam as dores e delícias do crescimento.

MEMORIASDEQUINTAL3_PAULOFUGA

Fruto das pesquisas de Mestrado em Artes Cênicas (PPGArC/UFRN) dos atores Alex Cordeiro e Paulinha Medeiros, o espetáculo conta com a colaboração de Pedro Vilela(PE) na consultoria de direção, e Giordano Castro (Grupo Magiluth/PE) na consultoria de dramaturgia.

SINOPSE

Imagine uma mochila velha, coberta pelo pó e com cheiro de guardado. No conteúdo existe uma lanterna, um caleidoscópio e um mapa feito à mão, desbotado, carcomido pelas traças do tempo, com destino há muito esquecido. Sob os traços e trilhas, a história de três crianças e uma fuga. Três adultos e um encontro no espaço sagrado do teatro. “Não foi fácil. Não está sendo. A verdade é que não é tão bonito assim. Lembrar, dói! Viver, dói”. Talvez lançar o olhar para essas memórias de quintal seja como um respiro, uma quebra na lógica decidida e implacável do tempo. De certo, por isso, os três adultos acharam de querer fazer teatro a partir das crianças que foram. Querendo, talvez, confundir o senhor dos destinos e ter mais uma chance.

SOBRE A BOLOLÔ CIA. CÊNICA

facebook.com/bololociacenica

A Bololô Cia. Cênica foi fundada em 2010 em Natal/RN e é formada pelos atores Alex Cordeiro, Arlindo Bezerra, Luana Menezes, Paulinha Medeiros e Rodrigo Silbat, que se uniram por acreditar no teatro de grupo e seguem defendendo a horizontalidade das relações dentro do coletivo e a sempre viva possibilidade de uma cena sem rótulos e sem pudor.

Em 2015 a companhia teve dois projetos aprovados pelo Fundo de Incentivo à Cultura da Prefeitura do Natal/FUNCARTE, para montagem e temporada de estreia dos espetáculos Manga Rosa e Memórias de Quintal. Ano passado a companhia foi contemplada no Edital Natal em Cena 2014 para montagem do espetáculo teatral Margem Ribeira.

Na edição passada do mesmo edital, em parceria com o Coletivo Atores à Deriva e a MAPA Realizações Culturais, o grupo montou o espetáculo Encruzilhada do Mundo ou Sobre a Areia e o Vento com direção do paulistano Luis Fernando Marques, que foi adaptado para o palco italiano e apresentado este ano no Teatro Alberto Maranhão.

Também compõe o repertório da Bololô o espetáculo Retrato do Artista Quando Coisa, inspirado na poesia de Manoel de Barros e com direção da Cia Luna Lunera (MG).

MEMORIASDEQUINTAL2_PAULOFUGA

FICHA TÉCNICA

Direção: Alex Cordeiro e Rodrigo Silbat
Dramaturgia: Paulinha Medeiros
Elenco: Alex Cordeiro, Paulinha Medeiros e Lulu Albuquerque
Preparação corporal e Direção de Movimento: Rodrigo Silbat
Direção de Arte: Paula Vanina e Bololô Cia Cênica
Desenho de luz: Pedro Vilela (PE)
Consultoria de direção: Pedro Vilela (PE)
Consultoria de dramaturgia: Giordano Castro (Grupo Magiluth/PE)
Produção executiva: Arlindo Bezerra
Comunicação: Joanisa Prates
Registro Fotográfico: Paulo Fuga
Registro de vídeo: Johann Jean
Designer gráfico: Daniel Torres
Operação de luz: Alisson Galdino
Operação de áudio: Silbat Rodrigo
Realização: Bololô Cia Cênica
Classificação indicativa: 16 anos

SERVIÇO

Temporada de estreia “Memórias de Quintal” – Bololô Cia Cênica
Quinta a domingo, de 09 a 12 de julho de 2015, às 19h30, na A Boca Espaço de Teatros
Rua Frei Miguelinho, 16 – Ribeira
Informações: Luana Menezes (84) 99921-0979
Ingressos: R$10 (preço único)

MÍDIAS SOCIAS

www.facebook.com/bololociacenica
www.instagram.com/bololociacenica

 

Fonte: Joanisa Prates
Fotos: Paulo Fuga

3 set by João Ricardo Correia Tags:, , , ,

Mãe de Isabella Nardoni será indenizada por peça baseada em morte da filha

ISABELLANARDONI

Obras de ficção que usam fatos facilmente identificáveis após exposição na mídia violam o direito de privacidade, pois o público “mediano” não consegue separar “licença poética” de acontecimentos reais. Esse foi o entendimento da juíza Fernanda de Carvalho Queiroz, da 4ª Vara Cível de São Paulo, ao determinar que o autor de uma peça baseada na morte de Isabella Nardoni (FOTO) indenize a mãe da menina em R$ 20 mil por danos morais. Ela também proibiu qualquer montagem teatral do texto.

A exibição do espetáculo Edifício London (foto), da companhia Os Satyros, estava proibida desde março de 2013, por uma liminar. Como a obra também havia sido publicada em livro, com menos de 500 exemplares, a condenação vale ainda para a editora Coruja, responsável pela tiragem. O grupo Os Satyros aparece como réu, mas não foi responsabilizado. O processo corre em segredo de Justiça.

A mãe de Isabella, Ana Carolina Cunha de Oliveira, alegou que a peça fazia remissão direta ao homicídio de sua filha e considerou como “verdadeira aberração” cena em que uma boneca decapitada era lançada através de uma janela. Além de apontar violação à imagem de sua filha, ela disse que também se sentiu vítima por ser retratada como “uma mulher despreocupada com a prole e envolvida com a vulgaridade”.

Embora tenha reconhecido “as bem articuladas argumentações da defesa em favor da liberdade de expressão”, a juíza avaliou que “nesse embate entre o público e o privado sobrepõem-se os direitos da personalidade”. O autor alegava que o texto é de ficção, mas a sentença aponta ser impossível dissociá-lo das pessoas envolvidas no episódio. O próprio título — nome do edifício onde Isabella morreu há seis anos, após uma queda do sexto andar — “já resgata memórias indeléveis”, segundo a juíza.

Um dos dispositivos aplicados na decisão foi o artigo 20 do Código Civil, que é questionado no Supremo Tribunal Federal pela Associação Nacional dos Editores de Livros e gerou discussão envolvendo biografias não autorizadas. Segundo o dispositivo, pode ser proibido qualquer material que atinge “a honra, a boa fama ou a respeitabilidade” de uma pessoa ou tenha fins comerciais.

O advogado do autor, Caio Victor Fornari, do Fornari Advogados e Associados, planeja recorrer da decisão, sob a justificativa de que a peça não provocou nenhum dano. Ele também pediu a revogação do segredo judicial, por entender que não há motivos para a medida. A editora é defendida pelo mesmo escritório. O advogado Dinovan Oliveira, que representa a companhia de teatro, também tenta derrubar o segredo.

 

Fonte: Consultor Jurídico

25 mar by Henrique Goes Tags:, ,

‘A.Bo.Ca’: Ribeira ganha novo espaço teatral ; inauguração é sábado (29)

O bairro da Ribeira, em Natal, vai ser presenteado com mais um espaço artístico. Localizado na rua Frei Miguelinho, número 16, A.Bo.Ca – Espaço de Teatros será inaugurada no sábado, dia 29 de março, a partir 20h. Uma noite que será um marco para o teatro local que tanto carece de espaços para suas produções continuadas.
A.Bo.Ca
                                          Divulgação
A grande celebração, que promete não ter hora para acabar, inicia às 20h com apresentação do espetáculo O Cobrador, do Coletivo Atores à Deriva, seguido do experimento performático Na Mesa com o Bobo, da Bololô Cia. Cênica. Às 22h, Angela Castro – cantora e vocalista da banda Rosa de Pedra – apresenta o show Buena Onda, acompanhada pelos músicos Toni Gregório (guitarra) e Rogério Pitomba (bateria). A partir das 23h começa a batalha de DJs entre Tiago Landeira e Danina Nua.
SOBRE A.BO.CA
O espaço vai funcionar como sede da Bololô Cia. Cênica, do Grupo Carmin de Teatro e doColetivo Artístico Atores à Deriva. Ter uma sede própria é um passo importante para quem deseja fazer do trabalho artístico o seu trabalho. Uma sede, um lugar fixo para se trabalhar todos os dias, é essencial para a consolidação de um grupo.
 cartaz aboca
“Uma sede representa um grande avanço e uma grande conquista, uma vitória na labuta diária de tentar ganhar a vida com teatro. A sede representa também uma luta política, porque a medida que conquistamos esse espaço, estamos oferecendo mais um espaço cultural para a cidade. Representa também a possibilidade de estabelecer trocas estéticas e artísticas com outros grupos, receber grupos de fora”, vibrou Luana Menezes, atriz da Bololô Cia Cênica.
COMO TUDO COMEÇOU
Em setembro de 2013, os grupos Atores à Deriva, Bololô Cia. Cênica e Grupo Carmin de Teatro uniram forças e juntos fizeram do prédio de número 16 da Rua Frei Miguelinho, no bairro da Ribeira, a sua casa. Assim surgiu A.Bo.Ca Espaço de Teatros, que funciona como a sede dos três coletivos.
Ideias e mais ideias entorno de um nome para o espaço foram levantadas em reuniões. Em um insight da atriz Quitéria Kelly (Grupo Carmin) veio a junção das iniciais dos três coletivos resultando em A. Bo. Ca. – Atores à Deriva, Bololô e Carmin.
A. Bo. Ca. – Espaço de Teatros é exatamente este lugar que reúne os fazeres teatrais destes tres coletivos, objetivando fortalecer a cena teatral natalense através de suas pesquisas, montagens, apresentações, oficinas e workshops. Um marco para o teatro local que tanto carece de espaços para suas produções continuadas.
SOBRE OS COLETIVOS
Coletivo Artístico Atores à Deriva surgiu em 2008 a partir do desejo de formação profissional e continuidade da pesquisa em teatro, experimentada na montagem do espetáculo A Mar Aberto, proposto pelo diretor e dramaturgo Henrique Fontes.
Bololô Cia. Cênica foi fundada em 2009 e é formada pelos artistas Alex Cordeiro, Arlindo Bezerra, Luana Menezes, Paulinha Medeiros, Rodrigo Silbat e o produtor Flávio Rodriguez. A Bololô nasceu do desejo de experimentar as possibilidades da cena contemporânea e da necessidade de formação de um coletivo de pesquisa artística continuada.
Grupo Carmin de Teatro foi criado em 2007 em Natal, RN, pelas atrizes Quitéria Kelly e Titina Medeiros, motivadas pela pesquisa sobre moradoras de rua de Natal. A pesquisa resultou na montagem da peça “Pobres de Marré”  com texto e direção de Henrique Fontes, que passou a integrar o grupo.
PROGRAMAÇÃO
Espetáculos
20h – O Cobrador (Atores à Deriva)
21h – Na Mesa com o Bobo (Bololô Cia Cênica)
Festa
22h – Show Buena Onda, com Angela Castro (Rosa de Pedra)
23h – Batalha de DJs entre Tiago Landeira e Danina Nua
SERVIÇO
INAUGURAÇÃO A.Bo.Ca | Espaço de Teatros
Sábado, 29 de março de 2014, a partir das 20h
Rua Frei Miguelinho, 16, Ribeira – Natal | RN
Ingressos: Casadinha dois espetáculos R$20 (inteira) R$10 (meia) + festa R$5
Somente festa: R$10
Informações: Silbat Rodrigo (84) 3322-0090 | 9640-6965 | [email protected]
Fonte: Assessoria de Imprensa

 

31 jan by Henrique Goes Tags:, , ,

Vida e música de Gonzagão chegam aos palcos de Natal em fevereiro

Depois do enorme sucesso de público e crítica no Rio de Janeiro, São Paulo e Nordeste – com apresentação especial em Exu, cidade natal do Rei do baião –, o musical Gonzagão– A Lenda, de João Falcão desembarca em Natal para apresentações nos dias 13, 14 e 15 de fevereiro, sempre às 20h, no Teatro Alberto Maranhão.

Gonzagão a lenda 762
Divulgação

Considerado um dos melhores musicais brasileiros, eleito pela Folha de SP e pelo Estado de SP um dos cinco melhores do ano, o espetáculo está em cartaz há mais de um ano e foi vencedor dos prêmios: Prêmio Shell de Teatro 2012 de Melhor Música; do 7º Prêmio APTR de Melhor Produção; Prêmio Qualidade de Melhor Espetáculo; e do Prêmio FITA 2013 nas categorias Melhor Espetáculo (Júri Popular), Melhor Direção e Melhor Figurino. Ainda na agenda de 2014, a montagem terá a honra de abrir o Festival Ibero-Americano de Teatro de Bogotá‟, o maior da América Latina.

Teaser de Gonzagão A Lenda: http://bit.ly/1bxZZ9U

Sobre o espetáculo

Oito atores e uma atriz se revezam no palco em uma viagem musical pela trajetória do Rei do Baião. Como em qualquer história de homem que vira mito, a vida de Luiz Gonzaga tem passagens em que as versões de seus biógrafos não convergem, em que realidade e fantasia se confundem, e o autor e diretor João Falcão se sentiu livre para tratar mais do mito do que do homem.

“É a história de Luiz Gonzaga, mas não é Wikipédia”, diz Falcão, que evitou qualquer didatismo na construção do texto, embora tenha lido vários livros sobre um dos artistas mais importantes da música brasileira, morto em 2 de agosto de 1989, cujo centenário de nascimento foi comemorado em dezembro de 2012.

A opção por uma abordagem teatral, não enciclopédica, fica explícita logo no início da peça, quando uma trupe se apresenta para contar a “lenda do Rei Luiz”. Os atores desta trupe anunciam que encenarão uma história iniciada “no sertão do Araripe lá pelos idos do século XX”.

 

Gonzagão a lenda 794 copy
Divulgação

Sobre o elenco

Nessa montagem, João Falcão apresenta dois novos talentos ao público: Marcelo Mimoso, que narra boa parte da história de Gonzaga no palco e canta a maioria das músicas, nunca tinha assistido a uma peça antes. Filho de sanfoneiro, Marcelo é taxista e também cantor de forró. Foi descoberto pelo diretor João Falcão numa noite em que se apresentava em um bar da Lapa.

O único papel feminino do elenco é de Larissa Luz (indicada ao Prêmio FITA 2013 de melhor atriz), o primeiro de sua carreira já que ela não era atriz, mas sim cantora. Descoberta por João, assim como Marcelo Mimoso, Larissa era cantora do famoso grupo baiano AraKetu e esta foi sua estreia no teatro. “Vi Larissa cantando num vídeo de internet que um amigo me mostrou”, conta o diretor que confessa gostar de experimentar pessoas em outras áreas de atuação.

Sobre a montagem e a direção musical

As referências são maciçamente nordestinas, sobretudo pernambucanas. Luiz Gonzaga nasceu no município de Exu, de onde saiu aos 17 anos para ganhar o mundo. João Falcão também é de Pernambuco, da cidade de São Lourenço da Mata. “A festa mais importante da minha casa era a de São João, e São João era Luiz Gonzaga. Ele era patrimônio do povo, mais do que qualquer outro artista. Poucas músicas que estou usando no espetáculo descobri agora. A maioria eu sabia de cor, já sabia tocar”, conta ele, que também é compositor.

Na história do rei do baião, João Falcão se permitiu rebatizar duas mulheres importantes da vida do músico, Nazarena (o primeiro grande amor) e Odaléa (a mãe de Gonzaguinha) como Rosinha e Morena, respectivamente, nomes que aparecem em músicas do compositor. E ainda se permitiu criar um encontro que nunca aconteceu: Luiz Gonzaga e Lampião, dois mitos nordestinos. Também há espaço para se falar da originalidade de Gonzaga, um artista que, a partir dos ensinamentos de seu pai, Januário, criou em sua sanfona um gênero, o baião, e o transformou em sucesso e patrimônio nacionais.

Dentre as cerca de 40 canções que estão no espetáculo há sucessos como “Cintura fina”, “O xote das meninas”, “Qui nem jiló”, “Baião”, “Pau-de-arara” e sua mais célebre criação, “Asa branca”. De acordo com a linha não dogmática de todo o espetáculo, o grupo não ficou preso à estrutura básica do forró, que é sanfona-triângulo-zabumba.

No conjunto dos quatro instrumentistas virtuoses que atuam no palco, há, além do sanfoneiro (Rafael Meninão) e do percussionista (Rick De La Torre), um violoncelista (Daniel Silva) e um rabequeiro e violeiro (Beto Lemos). Os arranjos de todas as músicas foram elaborados pelos quatro músicos, que por conta da longa temporada estão em grande sintonia e presenteiam a plateia com improvisos em todas as apresentações, um privilégio para o espectador e uma renovação diária para a montagem. Beto Lemos rouba a cena em “Assum Preto”, em um solo de rabeca que já foi aplaudido durante cinco minutos em cena aberta.

 

SERVIÇO

Musical Gonzagão A Lenda

Dias 13, 14 e 15 de fevereiro às 20h

Teatro Alberto Maranhão | Praça Augusto Severo – Ribeira

Informações: (84) 9638-8426

www.facebook.com/GonzagaoOMUSICAL

 

Com informações de Assessoria de Imprensa.

19 dez by Henrique Goes Tags:, ,

‘Encruzilhada do Mundo’ abre temporada a partir de hoje na praça da árvore de Mirassol

O espetáculo teatral “Encruzilhada do Mundo ou Sobre a Areia e o Vento”, segue em temporada nos dias 19, 20 e 21 de dezembro, na praça da árvore de Mirassol, após a excelente receptividade do público da zona Norte, aonde foram realizadas três apresentações na área externa do Ginásio Nélio Dias. O acesso ao espetáculo é gratuito com início sempre às 20h.

cartaz espetáculo
Divulgação

 

Com direção de Luiz Fernando Marques, do Grupo XIX de Teatro (SP) e codireção de Paulo Arcuri (SP), o espetáculo “Encruzilhada do Mundo ou Sobre a Areia e o Vento” é resultado do projeto Natal: Encruzilhada do Mundo, idealizado pelos grupos Coletivo Atores à Deriva e Bololô Cia. Cênica, com produção da MAPA Realizações Culturais, contemplado no Edital Natal em Cena 2013, da Prefeitura Municipal do Natal, através da Funcarte.

 

A dramaturgia de Luana Menezes (Bololô Cia. Cênica/RN), construída em processo colaborativo com os coletivos e direção, ganha vida com a atuação de dez atores que interpretam personagens fictícios inspirados em figuras reais de Natal, que contam a história da cidade na primeira metade do século 20, desde as aventuras do aviador Augusto Severo, até a cidade abandonada pelos soldados norte-americanos, na decadência do pós Segunda Guerra Mundial.

Encruzilhada do Mundo - Foto Joanisa Prates (3)
Foto: Joanisa Prates

SINOPSE

Numa cidade rodeada pelas dunas e pelo mar, um hangar vira encruzilhada do mundo, encruzilhada de vidas, encruzilhada de tempos. Dentro deste hangar, um avião grande o suficiente para que nele caibam todos os sonhos. Assim é a Encruzilhada do Mundo ou Sobre a Areia e o Vento: a história de uma cidade recontada através das histórias da gente que nela vive. Livremente inspirada pela(s) história(s) de Natal, do período de 1902, ano em que o pioneiro da aviação Augusto Severo morre em Paris, até 1955, período cinza seguido do brilho da Segunda Guerra Mundial, o espetáculo propõe que leiamos a cidade de uma nova maneira, pela ótica da poesia e da fábula, e não somente segundo aquela exposta nos livros de história. Propõe que nos leiamos de uma nova maneira, que nos entendamos como personagens dessa História, protagonistas na nossa vida: nós podemos escolher nossas encruzilhadas.

Encruzilhada do Mundo - Foto Tiago Lima (5)
Foto: Tiago Lima

 

SOBRE O PROJETO

O projeto Natal: Encruzilhada do Mundo foi contemplado na categoria “Natal, sua história, seus bairros, sua gente” do edital “Natal em Cena” da Prefeitura Municipal do Natal através da Funcarte. O projeto foi idealizado pelos grupos Coletivo Atores à Deriva e Bololô Cia Cênica e é

 

produzido pela Mapa Realizações Culturais. O espetáculo “Encruzilhada do Mundo ou Sobre a Areia e o Vento” tem direção geral de Luiz Fernando Marques, diretor convidado do Grupo XIX de Teatro (SP). Todas as informações sobre o projeto, incluindo a ficha técnica completa, podem ser encontradas no blog www.natalencruzilhadadomundo.blogspot.com.

 

SOBRE O NATAL EM CENA

O edital “Natal em Cena” foi discutido com toda a classe teatral potiguar e contempla duas temáticas bem definidas para os espetáculos. A categoria “Natal e a Religião” e a outra temática abordando “Natal, sua história, seus bairros, sua gente”. O resultado será a montagem e seis apresentações de cada espetáculo durante o Natal em Natal, sendo três na zona Norte de Natal e outras três na Árvore de Mirassol entre os dias 12 e 21 de dezembro de 2013.

 

SERVIÇO

Espetáculo Encruzilhada do Mundo ou Sobre a Areia e o Vento

Dias 19, 20 e 21 de dezembro de 2013 na praça da árvore de Mirassol

Informações: Mapa Realizações (84) 8855-2600

www.natalencruzilhadadomundo.blogspot.com

 

Fonte: Assessoria de Imprensa – Joanisa Prates

10 out by Henrique Goes Tags:, ,

Coletivos teatrais de Natal convocam estudantes para projeto

Estão abertas, até 14 de outubro, as inscrições para estudantes-aprendizes das áreas de cenografia, figurino, iluminação, sonorização, produção e maquiagem/caracterização, interessados em acompanhar a rotina de criação dos profissionais do projeto Natal: Encruzilhada do Mundo, idealizado pelos coletivos Atores à Deriva e Bololô Cia Cênica, com produção da Mapa Realizações Culturais, recentemente contemplado no Edital Natal Em Cena 2013, da Prefeitura Municipal do Natal, através da Funcarte.

tea
Imagem de internet

Para a inscrição é necessário enviar o currículo e uma carta de intenção com no máximo 2.500 caracteres para o e-mail [email protected]. É obrigatório ter idade mínima de 18 anos e estar matriculado em algum curso relacionado à área escolhida. Vale salientar que o interessado irá dedicar-se apenas a uma área de seu interesse.

“Esta é uma ação que visa oferecer a experiência de um processo criativo em teatro de grupo. É uma chamada despretensiosa para estar em contato com o conhecimento que brota dos ateliês de costura, das salas de ensaio ou das reuniões de planejamento de execução do projeto”, comentou Alex Cordeiro, coordenador pedagógico do projeto.

Os selecionados serão comunicados individualmente e terão o acompanhamento de um coordenador pedagógico que desenvolverá um cronograma de trabalho para cada selecionado. O resultado será publicado dia 16 de outubro de 2013 na página oficial do projeto nowww.fb.com/natalencruzilhadadomundo.

SOBRE O PROJETO

O projeto Natal: Encruzilhada do Mundo foi contemplado na categoria “Natal, sua história, seus bairros, sua gente” do edital “Natal em Cena” da Prefeitura Municipal do Natal através da Funcarte. O projeto foi idealizado pelos grupos Atores à Deriva e Bololô Cia Cênica e é produzido pela Mapa Realizações Culturais. O espetáculo terá direção geral de Lubi Marques, do Grupo XIX de Teatro, de São Paulo, um dos expoentes do teatro de grupo contemporâneo brasileiro.

SOBRE O APRENDIZES

A formação de um núcleo de jovens aprendizes é uma ação de educação pela arte, de modo vivencial, ofertada a jovens interessados em acompanhar o processo de criação do espetáculo de teatro “Natal: Encruzilhada do mundo”. Um convite à convivência in loco com a rotina dos profissionais responsáveis por dar cor, movimento e vida a cena. O estagiário e seu tutor, seguindo a perspectiva de uma ação interativa, deverão cumprir uma carga horária de 30h de aprendizado.

SOBRE O NATAL EM CENA

O edital “Natal em Cena” foi discutido com toda a classe teatral potiguar e contempla duas temáticas bem definidas para os espetáculos. A categoria “Natal e a Religião” e a outra temática abordando “Natal, sua história, seus bairros, sua gente”. O resultado será a montagem e seis apresentações de cada espetáculo durante o Natal em Natal, sendo três na Zona Norte de Natal e outras três na Árvore de Mirassol no mês de dezembro.

 

SERVIÇO

Inscrições para Núcleo de Aprendizes “Natal: Encruzilhada do Mundo”

De 09 a 14 de outubro de 2013, envio de currículo e carta de intenção

Inscrição e informação: [email protected]

Contato: Mapa Realizações (84) 8855-2600

Fonte: Assessoria de Imprensa

23 maio by João Ricardo Correia Tags:, , ,

LIRIEL: DONA DE VOZ PRIVILEGIADA EMOCIONA PÚBLICO EM APRESENTAÇÃO NA CAPITAL DO RN

Liriel: aulas com ex-professor de Sinatra

De passagem por Natal, onde se apresentou nesta terça-feira, 21, no Teatro Riachuelo, no evento Noivas de Maio, promovido por Fafá Medeiros, a cantora pop lírica Liriel Domiciano concedeu entrevista  a este colunista.

Meiga, simpática e sorridente, falou um pouco de sua carreira. Natural de Santo Amaro, São Paulo, começou no Coral da Igreja de Jesus dos Santos dos Últimos Dias, regido por Izilda Maria da Silva, que ao perceber o talento da jovem, a colocou a frente do coral para interpretar músicas natalinas.

Colunista do PCN, Waldir Barroso foi recebido pela cantora Liriel

O mais recente trabalho da cantora é o CD Heaven’s Eyes, metade produzido em Praga, na República Tcheca, e a outra nos Estados Unidos, por Jerry William.

Liriel falou um pouco da sua infância, onde destacou, a importância dos seus pais na sua formação. Ela começou a se interessar pela música aos seis anos de idade.

Foi no Programa Raul Gil, que a cantora ganhou notoriedade ao interpretar canções do repertório de grandes nomes da música erudita clássica e contemporânea e teve a oportunidade de cantar com Rinaldi, que para ela foi uma grande e grata surpresa, pois não esperava. Raul Gil deu a ideia e o trabalho vingou. Mas como ´no seu estilo de música, praticamente, não há espaço para dupla, e sim a carreira solo, ainda espera ter a oportunidade de fazer um trabalho novamente com o Rinaldi.

Liriel passou um bom tempo nos Estados Unidos, onde teve a oportunidade de ter aulas de canto com o renomado, Seth Riggs, que foi professor de Frank Sinatra, Michael Jackson, Sarah Vaugan, Shakira e outros grandes nomes da música e ficou superfeliz, quando ele falou que ela tinha uma das vozes mais belas do mundo.

Perguntada se costuma utilizar as redes sociais, ela respondeu que devido as atribuições do dia a dia, não tem tempo de usá-las, apesar de saber que são importantíssimas para divulgar o seu trabalho.

A cantoria Liriel, tem a sua própria gravadora, a Habanera, mas afirmou que é necessário o apoio das grandes gravadoras, para ter uma divulgação maior do seu trabalho.

Apesar da correria por causa do trabalho, ela ainda encontra tempo para faz faculdade na área de Relações Humanas.

O seu trabalho artístico tem como finalidade atingir a todos, desde a criança ao idoso.

O colunista quis saber de Liriel como foi atingir a fama de repente, com sua aparência de uma pessoa tímida. Ela falou que era introvertida e que, dependendo do momento, também era extrovertida e sabia lidar com tudo, sem nenhum problema.

O SHOW

Dona de voz privilegiada, a cantora Liriel, subiu ao palco e cantou para as noivas e para o público presente, que ficou bastante emocionado diante da suavidade da sua voz. Fez parceria, com a cantora Potigua Thábata Medeiros em uma das canções.

No final, agradeceu a todos e deixou uma mensagem: “Procurar ter fé e acreditar, pois a vida não está fácil e o mais importante é estar com Deus”.

27 mar by Henrique Goes Tags:, ,

TAM: CHIQUINHA GONZAGA NO TABLADO

Uma ótima oportunidade para conhecer ou mergulhar na obra da grande compositora Chiquinha Gonzaga. A programação do Dia Mundial do Teatro, neste dia 27, no Teatro Alberto Maranhão, traz a partir das 18h30,  o espetáculo “Nas ondas do rádio com Chiquinha Gonzaga”, da Cia Bagana de Teatro, e concerto especial da OSRN.

chiquinha
Divulgação

O musical, criado em 2011, se passa em um programa de rádio e divulga 14 canções de autoria de Chiquinha Gonzaga, numa alusão a era dos cantores do rádio. O espetáculo tem 40 minutos de duração e 07 peças em cena – quatro cantoras, uma locutora e dois músicos. A produção geral é de Joriana Pontes.

Informações pelos telefones: 3222-3669 / 3232-9704

Com informações da Assessoria da SecultRN/FJA

28 jan by Henrique Goes Tags:, , , ,

CASA DA RIBEIRA APRESENTA “GARDÊNIA”, ESPETÁCULO INSPIRADO EM GARCIA MARQUEZ

Os admiradores da obra de Gabriel Garcia Marquez não podem perder essa. O El Otro Núcleo de Teatro (SP) apresenta neste final de semana (de 1º a 3) temporada do espetáculo Gardênia, inspirada na obra do escritor e jornalista colombiano. A entrada é franca e ingressos limitados. Corram para garantir o seu.

Gardenia 02
Divulgação

Mais informações sobre horários da apresentação e retirada das entradas pelo 3211-7710.

15 jan by Henrique Goes Tags:, ,

ATORES À DERIVA

A comemoração dos 5 anos do Coletivo Atores à Deriva vai movimentar a Casa da Ribeira nos próximos dias 19 e 20.

Entre as atrações está a estréia da peça “O Cobrador”. O espetáculo que estréia neste domingo (20) às 18h, foi pensado a partir do texto de Rubem Fonseca, publicado originalmente em 1979 (ano da Anistia) e narra a história de um homem tomado pelo ódio à sociedade consumista e de valores superficiais.

O Cobrador - Foto Thiago Landeira
Os cinco anos do Coletivo Atores à Deriva vai trazer a estréia de “O Cobrador”, na Casa da Ribeira
Foto: Thiago Landeira

Num dia de fúria, ele começa a sua batalha solitária, banhando as ruas de sangue e cobrando o que a injustiça social lhe negou desde o nascimento.

O Cobrador é o primeiro resultado do Núcleo de Pesquisa do Coletivo Atores à Deriva e os atores Bruno Coringa e Doc Câmara compartilham a direção; Tházio Menezes assina a iluminação e Bruno Coringa faz sua primeira atuação solo.

O Cobrador faz única apresentação dia 20/01 às 18h. Reservas: 3211-7710.

A programação comemorativa também vai contar com a reapresentação da peça que deu origem ao Coletivo: “A Mar Aberto”, e o workshop LABOR-atório, ambos com realização no sábado (19).

Fale no ZAP