Turismo volta a prosperar por causa do câmbio

A disparada das duas principais moedas estrangeiras sem dúvida vai estimular a atividade exportadora, como abrirá mais portas para o turismo por causa do câmbio, que é a relação entre o Real e o dólar.

Quando o europeu ou o norte-americano têm seu poder de compra no Brasil aumentado nesta magnitude no caso do dólar de 1 para mais de 3, a primeira coisa que se sente é o aumento de fluxo turístico de fora para dentro. É como infecção produzindo febre, é rápido.

Primeiro são as pousadas, que  começam a contabilizar mais hóspedes; depois, os hotéis e consequentemente o crescimento no número de voos charter e  convencionais. É um crescendo alimentado pelo empobrecimento do país.

É uma oportunidade? É. Só não é para quem quer se promover em cima de uma situação previsível.

O RN tem uma experiência grande nesse tipo de cenário, já vivemos isso. Quando o câmbio está desfavorável para o Real, os investimentos voláteis aparecem surgidos do nada, transmitindo uma falsa sensação de prosperidade. Pelo menos agora já se sabe que serão apenas turistas comprando coisas por aqui, dado que os nativos andam meio sem recursos.

Mas Ruy Gaspar, o secretário (Turismo) hoteleiro, foi um pouco mais longe. Resolveu faturar para si esse aumento de turistas no destino.. Primeiro, disparando que pela primeira vez em uma década alguém está se propondo estimular “ativamente” a atividade no Estado. E, logo em seguida, anunciando voos novos entre Natal e outros países que já são velhos conhecidos  – Itália, Suécia, Alemanha, França, Portugal e Espanha.

 

Deixe seu comentário