Wilma disputará o Governo e fará oposição a Dilma Rousseff no RN

Carlos Eduardo e Wilma se encontram nesta segunda-feira

A vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria (PSB) comunicará durante encontro, nesta segunda feira, 13, com o prefeito Carlos Eduardo, que será candidata ao governo do RN nas eleições de outubro próximo. Ela quer saber se contará ou não com o apoio de Carlos, vez que o PDT, partido do prefeito, é aliado do PT, PMDB, PR e PSD, que não apoiam o candidato socialista Eduardo Campos ao Palácio do Planalto.

Não será surpresa se uma negativa política de Carlos provoque o rompimento dos dois. É grande o descontentamento dos wilmistas com a maneira como eles estão sendo tratados pelo atual ocupante do Palácio Felipe Camarão.

Wilma esteve recentemente com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e com a ex-senadora Marina Silva. A vice-prefeita assumiu o comando do palanque da oposição ao governo do PT no Rio Grande do Norte.

Eduardo e Marina pretendem derrotar a presidenta Dilma Rousseff na eleição presidencial. Sendo assim, segundo familiares de Wilma, ela não disputará a vaga no Senado Federal ocupada pelo pai do ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves. A candidata dos Alves será a deputada federal Fátima Bezerra (PT).

Wilma já admite uma composição política com o senador José Agripino (DEM), que faz oposição a Dilma. O partido dele pode apoiar, no primeiro turno, o senador mineiro Aécio Neves (PSDB), ou optar por Eduardo Campos (PSB). Existe um acordo tácito entre Aécio (neto de Tancredo Neves) e Eduardo (neto de Miguel Arraes) quanto a um possível segundo turno contra Dilma.

José Agripino precisa de uma composição partidária que permita a reeleição do seu filho Felipe Maia (DEM) e o PSDB quer eleger Rogério Marinho, formando-se no RN uma coligação entre PSB, DEM e PSDB, enquanto o PSB caminharia com um nome apoiado pelos evangélicos. Se depender de Marina Silva, candidata a vice-presidente, o escolhido seria o ex-vereador Adenúbio Melo ou o deputado estadual e ex-vice governador do RN Antônio Jácome.

“Nunca tive medo de enfrentar a luta. Apoiada pelo povo, não temerei nem escolherei adversário na disputa”, disse Wilma ao Portal Companhia da Notícia, ao ser indagada se temeria enfrentar Fernando Bezerra ou Garibaldi Filho (PMDB), que por ela já foram derrotados para o governo estadual.

O encontro de Wilma e Carlos Eduardo, segundo observadores da política local, será o chute inicial do jogo sucessório de outubro vindouro. A vice-prefeita lidera todas as pesquisas de intenção de voto  feitas até hoje sobre a sucessão da governadora Rosalba Ciarlini (DEM), que ficaria no governo até o final do mandato não disputando a reeleição por questões jurídicas.

Deixe seu comentário